As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 11:35 am

A QUEM POSSA INTERESSAR.

Este é um assunto bastante extenso e muito detalhado para que entendamos o todo.
Vou ser o mais suscinto possível até por causa de espaço.
NO final quero abordar um trecho da profecia que veio na CONGREGAÇÃO CRISTÃ ITALIANA DE CHICAGO, ILLINOIS, EM 22 DE ABRIL DE 1908.
(Os Anciães, Cooperadores e Diáconos, juntamente com a Administração da Congregação Cristã no Brasil, nesta Capital de São Paulo, havendo-as considerado, julgavam-nas úteis para serem traduzidas e impressas em idioma portugues, a bem do povo do Senhor neste país).

Dentre todas as profecias constante neste Livrete "Mensagens", quero destacar dois, que a meu ver fica claro neste estudo das Sete Eras.
1- Pg. 4 - "Se obedecerdes à minha vóz, Eu vos abrirei os tesouros escondidos por muitas gerações, sereis grandemente maravilhados e vosso coração transpordará de alegria. Sim, Eu abrirei as janelas do Céu e vereis, então, além do véu".

2- Pg. 5 - "Eu porei no meu povo o espírito de Elias e aquele despertará com insistência a oração até que o Céu seja aberto e a terra seja regada".

INTRODUÇÃO ÀS SETE ERAS APOC. 1

As Sete Igrejas da Ásia estão em Apoc. 2 e 3, mas precisamos começar no cap. 1 para entendermos o que João viu antes das sete igrejas.


A VOZ COMO DE TROMBETA
"...e ouví detrás de mim uma grande voz como de trombeta" Apocalipse 1:10
João estava no Espírito, e estando assim, ele viu o grande e maravilhoso Dia do Senhor Jesus e todo Seu Santo poder. O futuro estava prestes a ser revelado porque Deus estava prestes a ensinar-lhe. João não disse que era uma trombeta. Foi como uma trombeta. Agora, quando uma trombeta soa, tem algo de urgência em seu sonido. É como o arauto, o mensageiro do rei, vindo ao povo. Ele toca uma trombeta. É uma chamada urgente. O povo se reúne para ouvir (Israel sempre foi juntado por meio do sonido de uma trombeta). Algo importante está à mão. Escutem-no. Assim esta voz tinha a urgência como de trombeta. Era clara e forte, alarmante e despertadora. Oh! se pudéssemos ouvir a voz de Deus como uma trombeta neste dia, porque é a "Trombeta do Evangelho" soando a "Palavra de profecia" para anunciar-nos e preparar-nos para o que vem sobre a terra.


O MANDAMENTO PARA SE ESCREVER
Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último. O que vês escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardo, e a Filadélfia e a Laodicéia. Apocalipse 1:11
Aqui está: O Primeiro e o último, o Alfa e o Ômega, isso é Tudo. O único e verdadeiro Deus. A Voz e a Palavra de Deus. A verdade e a realidade estão às portas. Que coisa é estar no Espírito! Oh! Estar na presença de Deus e ouvir Dele... "O que vês escreva-o num livro e envia-o às sete igrejas". A voz que falou Sua Palavra no Jardim do Éden e sobre o Monte Sinai, a qual também foi ouvida na glória excelsa do Monte da Transfiguração, uma vez mais estava soando; e desta vez às sete igrejas com uma revelação completa e final de Jesus Cristo.
"João, escreva as visões. Faça um registro delas para as eras que hão de seguir, porque são as profecias verdadeiras, as quais têm que chegar a suceder. Escreva-as e mande-as, fazendo-as conhecidas".
João reconheceu essa Voz. Oh, você reconhecerá essa Voz quando Ele chamar, se você é um dos Seus!


OS CASTIÇAIS DE OURO
E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, ví sete castiçais de ouro. Apocalipse 1:12

João não diz que voltou para ver aquele que falava, mas que voltou para ver a voz. Oh, como amo isso! Ele voltou para ver a Voz. A Voz e a Pessoa são um e o mesmo. Jesus é a Palavra. João 1:1-3
"No principio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez".

Se você pode chegar a ver a Palavra, estará vendo a Jesus. Quando João voltou ele viu sete castiçais de ouro. Na realidade eram candelabros. E segundo o versículo 20, são as sete igrejas: "Os sete castiçais que tens visto, são as sete igrejas". Para representar as igrejas, não poderiam ser velas. Uma vela unicamente dá luz por um tempo e então se acaba. Morre. Não haveria mais dela. Porém castiçais possuem uma condição mais duradoura que a contida nas velas.

Se você quer obter uma figura formosa do castiçal, leia acerca dele em Zacarias 4:1-6.
"E tornou o anjo que falava comigo e me despertou, como a um homem que é despertado do seu sono.
E me disse: Que vês? E eu disse: Olho, e eis um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite no cimo, com as suas sete lâmpadas; e cada lâmpada posta no cimo tinha sete canudos;
E, por cima dele, duas oliveiras, uma à direita do vaso de azeite, e outra à sua esquerda.
E falei, e disse ao anjo que falava comigo, dizendo: Senhor meu, que é isto?
Então respondeu o anjo que falava comigo, e me disse: Não sabes tu o que é isto? E eu disse: Não, Senhor meu.
E respondeu, e me falou, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos".

Aqui está outro castiçal de puro ouro. É muito brilhante porque tem suficiente azeite, o qual está obtendo das duas oliveiras, que estão de ambos os lados. As duas árvores representam o Antigo e o Novo Testamento e naturalmente o azeite tipifica ao Espírito Santo, sendo somente Ele, quem pode dar a luz de Deus ao povo. O que o anjo falou com Zacarias foi o mesmo que dizer: "Isto que vês, quer dizer que a igreja não pode fazer nada por meio de sua própria força ou poder, mas pelo Espírito Santo.

Agora, examinemos este castiçal. Notará você que tem um vaso grande ou um depósito, que é o centro para os sete braços que saem dele. Este vaso está cheio de azeite de oliva que corre através das sete mechas que estão nos sete braços. É o mesmo azeite que arde e dá luz nos extremos dos sete canais. Esta luz nunca se apagava. Os sacerdotes se mantinham enchendo o vaso de azeite.

O castiçal se acendia de uma maneira especial. Primeiramente o sacerdote tomava fogo do altar sagrado, o qual foi aceso originalmente pelo Fogo de Deus. Ele acendia primeiramente a lâmpada que estava sobre o vaso, então acendia a segunda com o fogo da primeira. A terceira recebia o fogo da segunda, assim como a quarta recebia o seu da terceira, e assim sucessivamente até que as sete lâmpadas eram acesas. Este fogo santo do altar, que passou de lâmpada a lâmpada, é um tipo maravilhoso do Espírito Santo nas Sete Eras da Igreja. O derramamento original de Pentecostes (o qual veio diretamente de Jesus sobre o propiciatório) está suprindo a Sua Igreja através das Sete Eras, e mostrando perfeitamente que Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje e para sempre; o Deus que nunca muda, nem em Sua essência nem em Seus modos.

Em João capítulo 15, Jesus disse: "Eu sou a videira, vós sois os ramos". Ele é a Videira principal que vem da raiz original da semente original que tem a Vida. Agora, a Videira não porta fruto; são as ramas que fazem isto. Agora, veja isto: Você pode enxertar numa árvore cítrica, como a laranjeira, uma rama de cidra, uma de limão e outras classes dessa mesma variedade e todas essas ramas prosperarão. Porém aquelas ramas enxertadas, não darão laranjas. Não senhor. A rama de limão dará limões, e a rama de cidra dará cidras, e assim por diante. Não obstante, essas ramas estarão vivendo da vida da árvore. Porém se daquela árvore procede outra rama de si mesma, será uma rama de laranjeira e dará laranjas. Por que? Porque a vida na rama e a vida no tronco são iguais, entretanto, não é assim com as ramas enxertadas. Essas ramas enxertadas tinham seus princípios em outra classe de vida, de outras árvores, de outras raizes, de outras sementes. Oh, seguramente, elas darão fruto, porém não darão laranjas. Não podem, porque não são originais.

Assim é a igreja. A videira tem sido fendida e têm enxertado ramas. Têm enxertado ramas Batistas, Metodistas, Presbiterianas e Pentecostais. E aquelas ramas estão dando frutos Batista, Metodista, Presbiteriano e Pentecostal (sementes denominacionais das quais eles produzem seu fruto); porém se a videira chegar a produzir outra rama de si mesma, a rama será igual à videira. Será uma rama igual à que foi produzida no dia de Pentecostes. Falará em línguas, profetizará e terá o poder e sinais do Cristo ressuscitado. Por que? Porque está vivendo por meio dos recursos naturais da própria videira.
Note você, não foi enxertado na vinha; nasceu na vinha. As outras ramas que foram enxertadas, somente podiam dar de seu próprio fruto porque não nasceram dessa videira; elas não sabem nada acerca da videira original nem do fruto original, nem se quer podem conhecê-lo, porque não nasceram dali. Porém se houvessem nascido da videira original, a mesma vida que estava na videira original (Jesus) haveria vindo através delas, e se haveria manifestado através delas. João 14:12:
"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para meu Pai".

Denominações que são dirigidas pelo homem não podem ser nascidas de Deus; porque é o Espírito e não o homem quem dá vida.

Quão admirável é pensar naquelas sete lâmpadas tomando vida e luz dos recursos daquele vaso principal, porque tinham suas mechas submergidas ali. Aqui estão representando a cada um dos sete mensageiros enviados às igrejas. Sua vida está ardendo com fogo do Espírito Santo. Sua mecha (vida) tem sido submergida em Cristo. Através daquela mecha, ele está extraindo a pura Vida de Cristo, e por meio dela dá luz à Igreja. Que classe de luz está dando? A mesma luz que estava na primeira lâmpada. E assim recorrendo as eras até o tempo presente do mensageiro do último dia; a mesma luz é manifestada através de uma vida que está escondida com Cristo em Deus.

Não podemos dizer isto somente dos mensageiros , porém todo verdadeiro crente está dramaticamente representado aqui. Todos estão alimentando-se do mesmo manancial. Todos têm sido submergidos no mesmo vaso. Estão mortos para si mesmos e suas vidas estão escondidas com Cristo em Deus. Estão selados pelo Espírito Santo. Efésios 4:30:
"E não entristeçais ao Espírito Santo de Deus, com o qual estais selados para o dia da redenção."

Nenhum homem os pode arrebatar de Sua mão. Suas vidas não se podem alterar. A vida visível está ardendo e brilhando, dando luz e manifestações do Espírito Santo. A vida invisível, de dentro, está escondida em Deus e alimentada pela Palavra do Senhor. Satanás não os pode tocar. Nem mesmo a morte os pode tocar, porque a morte tem perdido seu aguilhão; o sepulcro tem perdido sua vitória. Graças a Deus, têm esta vitória por meio do Senhor Jesus Cristo. Amém e Amém.

Edison

Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 11:39 am

AS SETE ESTRELAS E OS SETE CASTIÇAIS

"O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas". Apocalipse 1-20

Já temos descoberto a verdade destes dois mistérios. Não temos revelado quem são estes sete mensageiros, porém com a ajuda de Deus, o faremos; e então esse mistério será consumado. Conhecemos as Sete Eras. Elas estão na Palavra, e trataremos com cada uma até chegar a esta última era em que vivemos.

Porém dando uma olhada final a este capítulo, veja-O enquanto está ali em meio dos castiçais de ouro com as sete estrelas em Sua destra. Oh, é de ficar sem respiração vê-Lo ali em Sua Deidade Suprema. Ele é o Juiz, o Sacerdote, o Rei, a Águia, o Cordeiro, o Leão, o Alfa, o Ômega, o Princípio e o Fim, o Pai, Filho e Espírito Santo, Aquele que era, que é, e que há de vir, o Todo Poderoso, o Tudo em Todos. Ali está Ele, o Autor e consumador. Dígno é Aquele Cordeiro! Ele provou Seu mérito quando Ele comprou nossa salvação por Si mesmo. Agora Ele se encontra em todo Seu poder e em toda Sua glória com todas as coisas submetidas a Ele como Juiz.

Sim, ali está Ele entre os castiçais, com as estrelas em Sua mão. É noite, porque então é quando usamos lâmpadas para dar luz, e quando as estrelas brilham e refletem luz do sol. E está escuro. A Igreja está caminhando por fé nas trevas. Seu Senhor partiu desta terra, porém o Espírito Santo ainda brilha através da Igreja, dando luz a este mundo corrupto pelo pecado. E aquelas estrelas também refletem Sua luz. A única luz que têm é Sua luz. Quão escuro está, quanto frio faz espiritualmente! No entanto, quando Ele chega à cena, então há luz e calor, e a Igreja recebe poder, e por meio Dele faz as obras que Ele fez.

Oh, se pudéssemos vê-lo como o viu João. Que tipo de gente deveríamos ser, perante Ele naquele dia!

Edison


Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 11:41 am

A ERA DE ÉFESO

Período: 55 DC a 170 DC

Estrela - anjo mensageiro - Paulo

MENSAGEM À ERA DA IGREJA - Apoc. 2:1-7


A CIDADE DE ÉFESO

A cidade de Éfeso era uma das três maiores cidades da Ásia. Frequentemente ela era chamada a terceira cidade da fé cristã, sendo Jerusalém a primeira e Antioquia a segunda. Era uma cidade muito rica. O governo era romano, mas o idioma era grego. Os historiadores crêem que João, Maria , Pedro, André e Filipe foram enterrados nesta formosa cidade. Paulo, o fundador da verdadeira fé nesta cidade, foi pastor nela somente por uns três anos; mas quando ele estava ausente do rebanho, continuamente estava pensando neles e orando por eles. Timóteo foi o seu primeiro bispo.
"Paulo, apóstolo de Jesus Cristo segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa,
A Timóteo meu verdadeiro filho na fé: graça, misericórdia e paz da parte de Deus nosso Pai e da de Cristo Jesus, nosso Senhor.
Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasse em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem outra doutrina". I Timóteo 1:1-3

O próprio nome Éfeso, tem um estranho sentido de composição: "almejado" e "relaxado". Os altos anseios desta era que haviam começado com a plenitude do Espírito (a profundeza de Deus) por meio da qual estavam prosseguindo a soberana vocação de Deus, começaram a dar lugar a uma atitude menos vigilante.
Uma dedicação menos ardente a Jesus Cristo começou a manifestar-se como um presságio de que nas eras futuras o veículo conhecido como a igreja se afundaria na horrorosa "profundeza de Satanás". Ela tinha se tornado relaxada e vivia ao deus dará. A era já estava decaindo. Já havia deixado seu primeiro amor. A pequena semente semeada na era de Éfeso algum dia cresceria no espírito do erro até que toda ave imunda do ar viesse fazer nela seus ninhos.
Tão inofensiva para o raciocínio humano foi o aparecimento desta pequena planta para aquela Nova Eva (a Nova Igreja) que novamente ela seria enganada por Satanás.
A era de Éfeso tinha apresentado a ela a oportunidade para o melhor de Deus, e por um pouco de tempo ela prevaleceu e depois relaxou, e naquele momento de descuido, Satanás plantou a semente da completa ruína.

A Própria religião de Éfeso tipifica perfeitamente esta primeira era da Igreja e estabelece o curso das eras vindouras.
Em primeiro lugar, o magnífico templo de Diana, que esteve tantos anos em construção, tinha em suas cortes sagradas a imagem de Diana tão modesta e discreta como jamais poderia se imaginar. Ela não era semelhante as outras imagens colocadas em outros templos dedicados a ela. Ela era simplesmente uma figura feminina quase sem forma, que ao fim terminava no tronco de madeira do qual ela havia sido formada.
Seus dois braços eram formados por duas simples barras de ferro. Quão perfeitamente representa isto o espírito do anticristo que foi manifesto na primeira era! Ali estava manifesto em meio as pessoas, e ainda não tomou forma para não alarmar ao povo. No entanto, os dois braços de ferro mostravam que sua intenção era esmagar o trabalho de Deus a medida que fazia sua invasão.
E ninguém parecia tê-lo notado ou o que ele estava fazendo. Mas um dia eles notariam, quando com aqueles braços de ferro, suas "obras" chegassem a ser "doutrina", e sua doutrina chegasse a ser a lei de um império.

A ordem do serviço no templo também é muito reveladora. Em primeiro lugar, havia sacerdotes que eram eunucos. Este sacerdócio estéril pressagiou a esterilidade de uma gente que iria se distanciando da Palavra, porque uma gente que diz que conhece a Deus fora de Sua Palavra, está tão estéril de vida quanto um eunuco. Em segundo lugar, o templo tinha dentro de seus limites as sacerdotisas, virgens que desempenhavam os atos religiosos do templo.
Isto prenunciava o dia em que a cerimônia e o formalismo, rituais e obras, tomariam o lugar do Espírito Santo e a manifestação carismática não mais inundaria o templo de Deus. Sobre todos estava o pontífice, um homem de poder político e influência pública, representando o que já estava em progresso, mesmo que não estivesse ainda manifesto; isto é, dentro de pouco tempo a igreja seria entregue sob a liderança do homem com os planos do homem e os desejos do homem, e o Assim Diz o Senhor jamais seria uma realidade viva.
E debaixo deles, estavam os escravos do templo, que não tinham escolha, tinham que obedecer a hierarquia religiosa. Que pode significar isto, senão que viria o dia quando o clero investido, através de manobras políticas, ajudas do estado, e a imposição de credos, dogmas e direção humana em vez da Palavra e do Espírito, escravizaria ao laico, enquanto os líderes viveriam em luxos por bens não obtidos legalmente e deleitariam em seus prazeres imundos enquanto o pobre povo que deveria ser servido, de acordo com o plano de Deus, agora eram os servos?

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-05.pdf


Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 11:42 am

A ERA DA IGREJA DE SMIRNA

E ao anjo da igreja que está em Smirna, escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu:
Eu sei as tuas obras, e tribulação, e pobreza ( mas tu és rico ), e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte
.
(Apocalipse 2: 8-1).

PERÍODO: 170 a 312 AD

ESTRELA/MENSAGEIRO: IRINEU

A CIDADE

A cidade de Smirna ficava um pouco ao norte de Éfeso à entrada do Golfo
de Smirna. Devido ao seu porto muito bom ela era um centro comercial famoso
pela sua exportação. Ela foi também distinguida pelas suas escolas de retórica,
filosofia, medicina, ciência e ótimos edifícios. Muitos judeus viviam ali e eles
eram amargamente contra o cristianismo, mais ainda do que os Romanos. De
fato, Policarpo, o primeiro bispo de Smirna foi martirizado pelos judeus e é dito
que os judeus profanaram seu dia santo ( o sábado ) a fim de transportar a
madeira que seria necessária à sua fogueira.
7 A palavra Smirna significa "Amarga ", sendo derivada da palavra, mirra. A
mirra era usada para embalsamar os mortos. Deste modo temos uma significação
dupla encontrada nos nomes desta era. Foi uma era amarga cheia de morte. As
duas vinhas na estrutura da igreja estavam se desenrolando mais acentuadamente
separadas com um aumento de amargura contra a verdadeira vinha por parte
da falsa. A morte não era a única semente da falsa vinha, mas até mesmo na
verdadeira vinha havia uma paralisia dormente e uma impotência porque elas já
haviam se separado da verdade não adulterada dos primeiros anos depois do
Pentecostes; e nenhum crente verdadeiro é mais forte e são espiritualmente e
vivo do que seu conhecimento e apego à Palavra pura de Deus, como visto pela
multidão de exemplos do Velho Testamento. A organização estava crescendo
rapidamente confirmando e aumentando a morte dos membros, porque a
4 AS SETE ERAS DA IGREJA
liderança do Espírito Santo foi deposta e a Palavra foi substituída pelos credos,
dogmas e ritos feitos pelos homens.
8 Quando Israel entrou em alianças ilegais com o mundo, e firmou comunhão
pelo casamento, chegou finalmente o dia quando o mundo dominou e a Babilônia
levou o povo de Deus para o cativeiro. Ora, quando entraram na escravidão
começaram a ter um sacerdócio, um templo e a Palavra. Quando voltaram
porém eles tinham rabis, uma ordem teológica de Fariseus, uma sinagoga, e o
Talmude. E quando Jesus veio a eles eram tão corruptos que Ele os chamou
pelo seu pai, o diabo, e isto a despeito do fato que eles eram descendentes de
Abraão segundo a carne. Nesta era vemos a mesma coisa acontecendo. Porém,
como "todo Israel" não é Israel, mas um pequeno grupo eram os verdadeiros
israelitas espirituais, assim haveria sempre um pequeno grupo de cristãos
verdadeiros, a noiva de Cristo, até que Ele venha para os Seus.
9 Nesta cidade haviam dois famosos templos. Um era um templo eregido
para a adoração de Zeus, e o outro foi eregido a Cibele. E entre estes dois
templos se encontrava a mais bela estrada dos tempos antigos, chamada a
Estrada de Ouro. Para mim isto representa uma maior incursão do paganismo
que já havia começado nesta primeira era, porém tido como existente somente
em Roma. A aliança de dois templos de um deus e uma deusa é a semente da
Mariolatria na qual Maria é chamada a mãe de Deus e recebe honra e títulos e
poderes dando-lhe uma co-igualdade com Jesus Cristo. A Estrada de ouro que
os unia é uma figura de avidez que levou organizadores Nicolaítas a unir o
Estado com a Igreja porque conheciam a riqueza e o poder que aquele lhes
oferecia. Como a Era de Éfeso era meramente a semente plantada para a
trágica Era de Pérgamo que estava ainda no futuro, esta Era de Smirna era a
chuva, o sol, e o alimento que assegurou a vil corrupção que viria confirmar a
igreja na idolatria que é uma fornicação espiritual, da qual ela nunca mais se
levantaria. A morte estava penetrando pelas suas raizes até aos galhos e os que
compartilhavam com ela, compartilhavam da amargura e da morte.

Obs.- É importante conhecer as características da cidade, porque elas projetam as características da era onde ela se cumpre.

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-06.pdf

Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 12:05 pm

A ERA DE PÉRGAMO

E ao anjo da igreja que está em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois fios:
Eu sei as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; e reténs o meu nome, e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita.
Mas umas poucas de coisas tenho contra ti: porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria,
e se prostituíssem.
Assim téns também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu aborreço.
Arrepende-te, pois, quando não em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca.
Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele
que o recebe.
(Apocalípse 2:12-17.)

PERÍODO: 312 a 606 DC

ESTRELA/MENSAGEIRO - Martin

A CIDADE


Pérgamo ( antigo nome ) ficava situada em Mísia, em um distrito banhado por três rios, por um dos quais ela se comunicava com o mar. Ela era descrita como a mais ilustre das cidades da Ásia. Era uma cidade de cultura com uma biblioteca sobrepujada somente pela de Alexandria. Porém ela era uma cidade de grande pecado, entregue a ritos licenciosos de adoração a Esculápius, a quem eles adoravam na forma de uma serpente viva a qual habitava e se alimentava no templo. Nesta bela cidade de bosques irrigados, passeios e parques públicos vivia um pequeno grupo de crentes dedicados que não foram iludidos pela beleza exterior, e que abominavam a adoração Satânica que enchia a praça.

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-07.pdf

Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 12:09 pm

A ERA DA IGREJA DE TIATIRA


Eao anjo da igreja de Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem seus olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes ao latão reluzente: Eu conheço as tuas obras, e a tua caridade, e o teu serviço, e a tua fé
e a tua paciência, e que as tuas últimas obras são mais do que as
primeiras. Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria.
E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu.
Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras.
E ferirei de morte a seus filhos, e todas as igrejas saberão que eu sou aquele que sonda os rins e os corações.
E darei a cada um de vós segundo, as vossas obras.
Mas eu vos digo a vós e aos restantes que estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conheceram, como dizem, as profundezas de Satanás, que outra carga vos não porei.
Mas o que tendes retende-o até que eu venha. E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações.
E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai.
E dar-lhe-ei a estrela da manhã.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas
. (Apocalípse 2:18 - 29)

PERÍODO: 606 à 1520 DC

ESTRELA/MENSAGEIRO: Columba

CIDADE DE TIATIRA


Historicamente, Tiatira era a cidade menos notável entre as sete cidades desta revelação. Estava situada sobre a fronteira de Mísia e Iónia. Ela era cercada por muitos rios, os quais estavam cheios de sanguessugas. Sua
característica mais dígna de elogios era que ela era próspera financeiramente devido a corporação coletiva de oleiros, tecelões, tintureiros, alfaiates, etc. Foi desta cidade que Lídia, a vendedora de púrpura, veio. Ela foi a primeira convertida européia de Paulo. Ora, a razão pela qual o Espírito escolheu a esta cidade como a que continha os elementos espirituais para a quarta era, foi por causa de sua religião. A principal religião de Tiatira foi a adoração de Apolo Tyrimnaios, a qual estava ligada ao culto de adoração ao imperador. Apolo era o deus sol, e o primeiro em poder depois de seu pai, Zeus. Ele era conhecido como o "Desviador do mal", ele presidia as leis religiosas e a expiação ( o meio de expiação, significando fazer reparos pelos erros ou culpas ). Platão disse dele, "Ele explica aos homens a instituição de templos, sacrifícios e cultos aos deuses, também os ritos ligados
com a morte e após a vida." Ele comunica seu conhecimento de "o futuro" e "a vontade de seu pai" aos homens por meio de profetas e oráculos. Em Tiatira, este rito foi conduzido por uma profetisa que se assentava numa cadeira trípode e entregava as mensagens enquanto em transe.
O domínio desta religião era notável. Seu formidável poder não se apoiava exclusivamente no domínio do mistério, mas no fato de que ninguém podia pertencer aos sindicatos que ofereciam ao povo seu meio de vida a menos que pertencesse ao templo de adoração a Apolo. Qualquer um que recusasse a participar das festas idólatras e das orgias licenciosas era impedido de entrar nestas associações do primeiro século. A fim de ser uma parte da vida social e comercial o indivíduo tinha que ser praticante da idolatria pagã.

É dígno de nota que o próprio nome Tiatira significa, "Domínio Feminino."
Assim esta era é caracterizada por uma força dominante, uma força que cruelmente invade a todos, conquista todos e controla despoticamente. Ora, o domínio feminino é a maior maldição do mundo.
O homem mais sábio que o mundo já viu foi Salomão e ele disse:
Eu tornei a voltar-me, e determinei em meu coração saber, e inquirir, e buscar a sabedoria e a razão, e conhecer a loucura da impiedade e a doidice dos desvarios.
E eu achei uma coisa mais amarga do que a morte, a mulher cujo coração são redes e laços, e cujas mãos são ataduras; quem for bom diante de Deus escapará dela, mas o pecador virá a ser preso por ela.
Vedes aqui, isto achei, diz o pregador, conferindo uma coisa com a outra para achar a causa;
Causa que a minha alma ainda busca mas não a achei; um homem entre mil achei eu, mas uma mulher entre todas estas não achei
(Eclesiastes 7: 25 - 28).

Paulo disse:
Não permito que a mulher ensine, nem use de autoridade.

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-08.pdf

Edison



Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 1:25 pm

A ERA DA IGREJA DE SARDES

E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus, e as sete estrelas: Eu sei as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto.
Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus.
Lembra-te pois do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram seus vestidos, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante de seus anjos.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas
(Apocalípse 3: 1-6).


PERÍODO: l520 a l750 DC. Ela é usualmente chamada a Era da Reforma.

ESTRELA/MENSAGEIRO: Martinho Lutero

CIDADE DE SARDES


Sardes era a capital da antiga Lídia. Ela passou das mãos dos monarcas da Lídia aos Persas e daí para Alexandre, o Grande. Ela foi saqueada por Antíoco, o Grande. Os reis de Pérgamo depois reconquistaram o poder até que os Romanos dominaram. Ao tempo de Tibério ela foi desolada por terremotos e pragas. Hoje é um montão de ruínas desabitadas.
Esta cidade era em determinada época uma cidade muito importante comercialmente. Plínio disse que a arte de tingir lã foi inventada ali. Ele era o centro onde se tingia tecidos de lã e tecia tapetes. Ela tinha uma considerável quantia de prata e ouro na área e diz-se que as moedas de ouro foram primeiramente cunhadas ali. Ela tinha também um mercado de escravos.

A religião desta cidade era a impura adoração da deusa Cibele. As ruínas maciças do templo podem ainda serem vistas.
Vocês se recordam que na Era de Pérgamo eu mencionei que o conceito Babilônico da "mãe e o filho " conhecidos como Semíramis e Ninus tornou-se a Cibele e Deoius da Ásia. Os atributos dados a estes dois são mais esclarecidos quando os observarmos lado a lado.
- Ele era o deus sol; ela a deusa lua.
- Ele era o senhor do céu; ela a rainha do céu.
- Ele o revelador da bondade e da verdade; ela da gentileza e da misericórdia.
- Ele o mediador; ela a mediatriz.
- Ele com a chave que abre e fecha os portões do mundo invisível; e ela com uma idêntica chave fazendo o mesmo.
- Ele como o juiz dos mortos; ela como que estando a seu lado.- 1 Ele sendo morto, ressuscitou e ascendeu aos céus; ela foi levada para lá
corporalmente pelo filho.
Agora em Roma este mesmo deus recebe o título de nosso Senhor: ele é chamado o filho de Deus enquanto ela é chamada a mãe de Deus.
Ora, isto foi o que descobrimos lá atrás nas duas eras, onde o conceito da "mãe e do filho" chegou a proporções tremendas. Mas notem agora que assim como lá atrás na Babilônia onde a adoração do filho começou a decrescer em favor da adoração da mãe, assim também, ela literalmente começou a tomar o lugar do filho. Vemos nesta era que a adoração pagã de Sardes era a adoração da mulher. É somente Cibele, não Cibele e Decius. A mãe tem tomado literalmente o lugar do filho, dotada dos méritos da Divindade. Tudo que se
necessita fazer é passar sobre seus vários títulos e recordar os atraentes atributos cedidos a Maria pela Igreja Romana para compreender de onde a religião desta era veio.

Duas coisas impressionaram-me fortemente quando observei esta adoração de Cibele. Uma foi o fato que ela usava uma chave como a de Janus que lhe dava a mesma autoridade de Janus, ( a chave dos céus e da terra e dos mistérios) e o fato que os adoradores se feriam a si mesmos até que o sangue jorrava de seus corpos, prática esta ainda hoje levada a efeito por católicos que sentemque estão sofrendo como o Senhor.

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-09.pdf

Edison


Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 1:38 pm

A ERA DE FILADÉLFIA

E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre:
Eu sei as tuas obras; ei s que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.
Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo.
Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, do meu Deus, e também o
meu novo nome.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas
(Apocalípse 3:7-13).

PERÍODO: 1750 a 1906 DC

ESTRELA/MENSAGEIRO: João Wesley

CIDADE DE FILADÉLFIA


A cidade de Filadélfia estava situada a uns 97 quilômetros ao sudoeste de Sardes. Era a segunda cidade em tamanho na Lídia. Ela era edificada sobre vários montes em um famoso distrito de viticultura. Suas moedas traziam a figura de Baco e de uma Bacante ( sacerdotisa de Baco ). Entre os habitantes da cidade incluía judeus, cristãos de origem judia, e convertidos do paganismo.
A cidade sofria frequentes terremotos, no entanto sua duração foi a maior de todas as sete cidades de Apocalípse. De fato a cidade ainda existe sob o nome turco de Alesehirí ou Cidade de Deus.
A cunhagem das moedas sugere que a deidade da cidade era Baco. Ora, Baco é o mesmo Nino ou Ninrode. Ele é o “lamentado”, embora a maioria de nós pense dele em termos de orgia e embriagues.
Que iluminação isto traz às nossas mentes. Eis aqui uma moeda com um deus de um lado e a sacerdotisa ou profetiza do outro. Atire ao ar uma moeda.
Faz diferença um ou outro lado cair voltado para baixo? Não senhor, é sempre a mesma moeda. Esta é a religião romana de Jesus e Maria.
Mas não estamos pensando somente em Roma. Não, não existe somente a Grande Prostituta. Certamente que não; porque ela, por suas fornicações tem se tornado uma mãe. Suas filhas agora são moedas com a mesma cunhagem.
Eis que de um lado da moeda eles têm desenhado uma adoração a Jesus e do outro lado eles têm sua sacerdotisa ou profetiza também e ela escreve seus credos e dogmas e preceitos e os vende ao povo por salvação insistindo que ela e somente ela tem a verdadeira luz.
Quão notável é o fato que esta era é caracterizada pela moeda. Porque a mãe e as filhas estão todas comprando seu caminho para o céu. Dinheiro e não o sangue é o preço de compra. O dinheiro e não o Espírito é o poder que as impele para frente. O Deus deste mundo ( mamon) tem cegado seus olhos.
Mas suas obras de morte terminarão logo, porque esta é a era que o Espírito clama, “Eis que cedo venho”. Ora vem Senhor Jesus!

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-10.pdf

Edison


Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: As Sete Eras da Igreja - Apoc. 1, 2 e 3

Mensagem  Edison em Qui Jun 09, 2011 2:17 pm

A ERA DE LAODICÉIA

E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente: oxalá foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e vestidos brancos, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que
vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas
(Apocalípse 3:14-22).


PERÍODO: 1906 até ........

ESTRELA/MENSAGEIRO: Elias (Mal. 4:5-6, Mat. 17:11, Apoc. 10:7)

A CIDADE DE LAODICÉIA


O nome Laodicéia, que significa “direitos do povo” , foi um nome muito comum e foi dado a várias cidades em honra às senhoras reais assim chamadas.
Era uma das cidades políticamente mais importante e financeiramente mais florescentes da Ásia Menor.
Enormes somas de propriedades eram legadas à cidade por cidadãos proeminentes. Era o local de uma grande escola de medicina.
Seus moradores sobressaíam em artes e em ciências. Ela era frequentemente chamada a “Metrópole” como se fora a sede do governo de vinte e cinco outras cidades. O deus pagão adorado ali era Zeus. Com efeito esta cidade foi por certo tempo conhecida por Diópolis ( Cidade de Zeus ) em honra ao deus deles.
No quarto centenário um importante concílio de igreja foi presidido lá. Frequentes terremotos acabaram finalmente por causar seu completo abandono.
Quão apropriadas foram estas características a esta última era para representar a era na qual estamos vivendo agora. Por exemplo, eles adoravam um deus, Zeus, que era o chefe e pai dos deuses. Este fato prediz as religiões do “único Deus, pai de nós todos” do século vinte, premissa que estabelece a fraternidade do homem, e agora está mesmo unindo os Protestantes, Católicos, Judeus, Hindus, etc. com a intenção que uma forma comum de adoração aumentará nosso amor, nossa compreensão, e cuidando uns dos outros.
Os católicos e protestantes estão presentemente empenhando-se, e realmente ganhando terreno, nesta união com a propalada intenção que todos os outros os sigam. Esta mesma atitude foi notada na Organização das Nações Unidas quando os líderes mundiais recusaram reconhecer qualquer conceito individual de adoração, mas recomendaram deixar de lado todos aqueles conceitos separados com a esperança que todas as religiões tornem-se semelhantes a uma, porque todos anseiam os mesmos alvos, todas têm os mesmos propósitos
e todas são basicamente certas.
Notem o nome, Laodicéia, “direitos do povo”, ou “justiça do povo”, já houve alguma época de igreja do século vinte que tem visto todas as nações levantando-se e exigindo igualdade social e econômica? Esta é a era dos
comunistas, em que todos os homens devem ser iguais, ainda que isto exista somente em teoria. Esta é a era dos partidos políticos, os quais tomam por nomes Democratas Cristãos, Socialistas Cristãos, Federação Política Cristã, etc.
Segundo nossos teólogos liberais, Jesus foi um socialista, e a Igreja Primitiva, sob a direção do Espírito Santo, praticava o socialismo e por isso nós devemos fazê-lo hoje.
Quando o povo da antiguidade chamava de metrópole a Laodicéia, estava antevendo o único governo mundial que estamos agora estabelecendo.
Quando pensamos naquela cidade sendo a localização de um grande concílio da igreja vemos prefigurado o movimento ecumênico que hoje se desenrola, no qual muito em breve veremos reunidos os “assim chamados” cristãos.
Verdadeiramente, a igreja e o Estado, a religião e a política, estão se unindo. O joio está sendo atado em feixes. O trigo logo estará pronto para a colheita.
Foi uma cidade de terremotos, e tais terremotos por fim a destruíram. Esta era terminará com Deus abalando ao mundo inteiro que tem ido cortejar a grande prostituta. Não somente se desagregarão os sistemas mundiais, mas a própria terra será sacudida e logo renovada para o reino milenial de Cristo.

A cidade era rica, tinha muitos habitantes ricos. Foi uma cidade de muita cultura. A ciência abundava. Quão semelhante a hoje!
As igrejas são ricas. A adoração é formosa e formal, mas ao mesmo tempo fria e morta. A cultura e a educação têm tomado o lugar da Palavra dada pelo Espírito, e a fé tem sido superada pela ciência. Tudo isto demonstra que o homem é uma vítima do materialismo.

Em cada atributo a antiga Laodicéia se encontra renascida na Era de Laodicéia do século vinte. Pela misericórdia de Deus, todo aquele que tem ouvidos para ouvir sairá dela para não ser participante de seus pecados e do
consequente julgamento.

Estudo completo: http://www.apalavraoriginal.org.br/mensprof/1960-12-11_noite.pdf


Laodicéia, é esta nossa era. É este dia. É o único período da igreja gentía em que Jesus está do lado de fóra.
A igreja laodiceiana, se acha auto suficiente, se acha rica e que não tem falta de nada. No entanto o Senhor Jesus diz que ela é pobre, miserável, desgraçada, cega e nua. E a pior condição de Laodicéia é que ela é tudo isso E NÃO SABE.

Não há oitava igreja. Não há oitava era. É nesta era em que sucede o arrebatamento da Igreja-Noiva, encerra o tempo dos gentios, o Evangelho se volta para Israel e da-se a grande tribulação.

Esta é a era em que Deus, assim como tirou uma nação de dentro de uma nação (Israel saiu do Egito), Deus tira Uma Igreja de dentro da igreja. É o momento em que as virgens prudentes com azeite se separa das outras virgens sem azeite.

Edison




Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

A ERA DE LAODICÉIA

Mensagem  Edison em Qua Jul 13, 2011 7:51 pm

ESTE ESTUDO FOI MOTIVO DE CULTO NO DIA 11/12/1960 EM JEFERSONVILLE - USA.

A ERA DE LAODICÉIA

8 A era de Laodicéia começou por volta da entrada do século vinte, talvez
durante o ano de 1906. Quanto tempo durará? Como um servo de Deus que
tem tido multidões de visões, das quais não tem havido nenhuma que haja
falhado, deixe-me predizer ( não disse profetizar, mas predizer ) que esta era
terminará por volta de 1977. Por favor perdoem-me esta nota pessoal aqui,
esta predição está baseada numa série de sete visões maiores que me
sobrevieram num domingo de junho de 1933. O Senhor Jesus me falou e me
disse que a vinda do Senhor estava se aproximando, porém antes que Ele viesse,
sete eventos principais sucederiam. Eu os anotei a todos e naquela manhã eu
proclamei a revelação do Senhor. A primeira visão foi que Mussolini invadiria
a Etiópia e aquela nação “cairia à sua passagem.” Aquela visão realmente
causou algumas repercussões, e alguns ficaram muito intrigados quando eu o
disse, e não creram. Porém assim sucedeu. Ele simplesmente entrou lá com
suas armas modernas e tomou conta. Os nativos não tiveram nenhuma chance.
Mas a visão dizia também que Mussolini chegaria a um terrível fim, com seu
próprio povo revoltando-se contra ele. Isto veio a suceder exatamente como
tinha sido dito.

9 A visão seguinte predizia que um austríaco por nome Adolfo Hitler se
levantaria como ditador sobre a Alemanha, e que ele arrastaria o mundo a uma
guerra. Ela mostrava a linha Siegfried e como nossas tropas teriam um tempo
terrível para vencê-la. A seguir ela mostrava que Hitler chegaria a um fim
misterioso.

10 A terceira visão foi no domínio do mundo político porque ela mostrou-me
que haveria três grandes “ismos”, Facismo, Nazismo, Comunismo, porém que
os primeiros dois seriam absorvidos no terceiro. A voz exortava, “Observe a
Rússia, observe a Rússia. Mantenha os seus olhos no rei do Norte.”

11 A quarta visão mostrava o grande avanço na ciência que viria logo após a
segunda guerra mundial. Ela era encabeçada pela visão de um carro com capota
como uma bolha de plástico, que estava percorrendo maravilhosas super estradas
sob controle remoto de modo que as pessoas apareciam assentadas nesse carro
sem um eixo de direção e eles estavam disputando alguma espécie de jogo para
se distraírem.

12 A quinta visão tinha que ver com o problema moral de nossa época,
centralizando-se mais em torno das mulheres. Deus mostrou-me que as mulheres
começaram a se afastar de seu lugar com o privilégio do voto. Então cortaram
seus cabelos, o que significa que elas não estavam mais sob a autoridade do
homem, mas insistindo em direitos iguais, ou na maioria dos casos, mais do que
iguais. Adotaram roupas masculinas e se enveredaram por uma moda de trajes
sumários; até a última figura que vi era uma mulher despida, exceto por uma
pequena folha de figo, tipo de avental. Com esta visão eu vi a terrível perversão
e estado moral de todo o mundo.

13 A seguir na sexta visão eis que se levantou na América, a mulher mais
linda, porém cruel. Ela mantinha o povo sob seu completo controle. Eu acreditei
ser este o levantamento da igreja Católica Romana, embora eu saiba que
pudesse se tratar possivelmente de alguma mulher levantando-se em grande
poder na América devido a uma votação popular pelas mulheres.

14 A última e sétima visão foi aquela na qual ouvi a mais terrível explosão.
Quando virei-me para olhar não vi nada mais senão escombros, crateras, e
fumaça por sobre toda a terra da América.

15 Baseado nestas sete visões, junto com rápidas mudanças que têm varrido o
mundo nestes últimos cinquenta anos, eu predigo ( eu não profetizo ) que estas
visões já se terão cumprido por volta de 1977. E posto que muitos possam sentir
que esta seja uma declaração irresponsável, em vista do fato que Jesus disse
que “ninguém conhece o dia e nem a hora,” eu ainda mantenho esta predição
depois de trinta anos porque Jesus não disse que nenhum homem poderia
conhecer o ano, mês ou semana em que sua vinda é para ser completada. Pelo
que repito, eu sinceramente creio e sustento como um estudante privado da
Palavra, junto com a inspiração divina que 1977 deve terminar os sistemas do
mundo e introduzir o milênio.

16 Agora permitam-me dizer o seguinte. Pode alguém provar ser errada uma
destas visões? Não foram todas elas cumpridas? Sim. Cada uma tem sido
cumprida, ou está se processando nesta hora. Mussolini invadiu a Etiópia
vitoriosamente, e a seguir caiu e a perdeu toda. Hitler começou uma guerra
que não pôde terminar, e morreu misteriosamente. O comunismo absorveu
ambos os outros ismos. O carro bolha de plástico está construído e está
esperando somente um melhor sistema de estradas. As mulheres fazem tudo
exceto andarem despidas, e agora estão mesmo usando traje de banho de uma
só peça. E há poucos dias eu vi em uma revista o mesmo vestido que vira em
minha visão, ( se é que vocês podem chamar a isto de vestido ). Era uma
espécie de roupa de plástico transparente com três manchas escuras que cobriam
os seios em uma área reduzida, e então havia uma parte escura semelhante a
um pequeno avental embaixo. A Igreja Católica está em ascendência. Tivemos
um Presidente católico e não há dúvida que teremos outro. O que está faltando?
Nada exceto Hebreus 12:26:
A voz do qual moveu então a terra, mas agora anunciou, dizendo:
ainda uma vez comoverei, não só a terra, senão também o céu.

17 Uma vez mais Deus sacudirá a terra e desta vez cairá tudo o que pode ser
derrubado. Então Ele a renovará. Em março de 1964, aquele terremoto no
Alaska na Sexta Feira da Paixão abalou toda a terra, embora não a
desequilibrasse. Mas Deus está advertindo de um tremor de terra que Ele logo
fará em grande escala. Ele vai explodir e agitar este mundo amaldiçoado pelo
pecado, meu irmão, minha irmã, e há somente um lugar que pode resistir este
choque, e este é no aprisco do Senhor Jesus. E eu quero suplicar-lhes enquanto
a misericórdia de Deus está disponível a você, que vocês dêem toda a sua vida,
sem qualquer reserva, a Jesus Cristo, Quem como o fiel Pastor salvá-los-á e
cuidará de vocês e apresentá-los-á sem qualquer culpa na glória com muitíssima
alegria.

Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

O MENSAGEIRO PARA ERA DE LAODICÉIA

Mensagem  Edison em Qua Jul 13, 2011 8:42 pm

Penso que este ítem (O MENSAGEIRO DA ERA), tem sido o grande debate e rejeição da cristandade, em relação à revelação das Sete Eras da Igreja.
Porem se analisarmos na Bíblia, os mensageiros de Deus, na grande maioria das vezes, para não dizer todas as vezes, foram rejeitados pelo povo.

Jesus disse certa vez: "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!"(Mat. 23:37).

Estevam disse isso no dia da sua morte: " A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas" (At. 7:52).

Mas no decorrer do estudo entenderemos que o mensageiro, ou o anjo da era de Laodicéia, é "um" Elias, assim como João Batista era "um" Elias (Mat. 11:14). Lucas 1:17 diz que João Batista era Elias, porque ele veio no "espírito e virtude" de Elias.

Por volta de 1974/75 eu estava examinando esta revelação das Sete Eras. Então fui visitado por um saudoso cooperador da CCB, mais dois irmãos, que me deram um livreto com o nome "MENSAGENS" (se não falha a minha memória), onde relata duas profecias que Deus mandou no dia 22 de abril de 1908, na Congregação Cristã Italiana de Chicago - Illinois - USA.

Passei a ler as profecias em vóz alta com aqueles irmãos e me alegrei muito porque, aquilo para mim era uma confirmação daquilo que eu estava tomando conhecimento em relação às Eras da Igreja.

Na página 4 do livreto tem um trecho que diz: "Se obedecerdes à minha vóz, Eu vos abrirei os tesouros escondidos por muitas gerações, sereis grandemente maravilhados e vosso coração transbordará de alegria. Sim, Eu abrirei as janelas do céu e vereis, então, além do véu".

Outro trecho cabal na página 5 diz: "Eis que o princípio veio, mas o fim não veio ainda. EU POREI NO MEU POVO O ESPÍRITO DE ELIAS E AQAUELE DESPERTARÁ COM INSISTÊNCIA A ORAÇÃO ATÉ QUE O CÉU SEJA ABERTO E A TERRA SEJA REGADA".

Para mim isso acalmou meu coração pois vivia dias de muita apreensão, espectativa, decisão, batalha interior, por causa da Palavra.



O MENSAGEIRO
18 Eu duvido muito que qualquer era em verdade haja conhecido o mensageiro
que Deus lhe havia enviado com exceção da primeira era onde Paulo foi o
mensageiro. E mesmo naquela era muitos não o reconheceram como tal.

19 Agora a era em que estamos vivendo vai ser muito curta. Os acontecimentos
vão transcorrer mui rapidamente. Por essa razão, o mensageiro à era de
Laodicéia tem que estar aqui mesmo, embora talvez não o conheçamos até
este momento. Mas deverá haver seguramente um tempo quando ele se tornará
conhecido. Ora, eu posso provar isto porque temos a Escritura que descreve
seu ministério.

20 Primeiro de tudo este mensageiro será um profeta. Ele terá o ofício de um
profeta. Ele terá o ministério profético. O ministério será solidamente baseado
na Palavra, porque quando ele profetiza ou tem uma visão, ela será “segundo a
Palavra” e sempre chegará a suceder. Ele será vindicado como profeta por
causa de sua exatidão. A prova de que ele é profeta a encontramos em
Apocalípse 10:7 "Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se
cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos".

21 Agora esta pessoa, que neste verso é chamada “anjo” na versão do rei
Tiago não é um ser celestial. O sexto anjo tocando a trombeta, o qual é um ser
celestial, está em Apoc. 9 : 13, e o sétimo segundo esta ordem está em
Apocalípse 11:15. Este aqui em Apocalípse 10:7 é o mensageiro da sétima era,
e é um homem; e ele tem de trazer uma mensagem de Deus, e Sua mensagem
e ministério vão consumar o mistério de Deus como Ele o tem anunciado a
seus servos os profetas. Deus vai tratar a este último mensageiro como um
profeta, porque ele é um profeta. Isso é o que Paulo foi na primeira era, e a
última era tem um também.
Tocar-se-á a buzina na cidade, e o povo não estremecerá? Sucederá
qualquer mal à cidade, e o Senhor não o terá feito?
"Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o
seu segredo aos seus servos, os profetas". Amós 3:6-7

22 Foi no tempo do fim quando saíram os sete trovões de Jesus.
"E clamou com grande voz, como quando brama o leão: e havendo
clamado, os sete trovões fizeram soar as suas vozes.
E, sendo ouvidas dos sete trovões as suas vozes, eu ia escrevê-las, e
ouvi uma voz do céu, que me dizia: Sela o que os sete trovões falaram, e
não o escrevas" (Apocalípse 10:3-4).

23 Ninguém conhece o conteúdo daqueles trovões, porém temos de saber. E
necessitará de um profeta para obter a revelação porque Deus não tem outro
meio de publicar Suas revelações escriturísticas exceto por meio de um profeta.
A palavra sempre veio através de um profeta e sempre virá. Que esta é uma lei
de Deus é evidente mesmo por um exame fortuito da Escritura. O Deus imutável
com caminhos imutáveis invariavelmente envia Seu profeta em cada época
onde o povo tem se desviado da ordem divina. Com ambos, os teólogos e o
povo, tendo se apartado da Palavra, Deus sempre envia Seu servo a este povo
( mas à parte dos teólogos ) a fim de corrigir os falsos ensinos e guiar o povo de
volta a Deus.

24 Assim vemos um mensageiro da sétima era, e ele é um profeta.

25 Não somente vemos que vem este mensageiro aqui em Apocalípse 10:7,
porém vemos que a Palavra fala de Elias vindo antes do retorno de Jesus.
E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem então os
escribas que é mister que Elias venha primeiro?
"E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e
restaurará todas as coisas" (Mat. 17 : 10 - 11).

26 Antes da vinda de nosso Senhor, Elias tem que regressar para efetuar uma
obra de restauração na igreja. Isto é o que diz em Malaquias 4:5-6:
"Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e
terrível do Senhor. E converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a
seus pais; para que eu não venha e fira a terra com maldição".

27 Não há nenhuma dúvida que Elias tem que voltar antes da vinda de Jesus.
Ele tem uma obra a realizar. Essa obra é a parte de Malaquias 4:6, que diz: “ele
converterá o coração dos filhos aos pais”. Nós sabemos que esta obra
pertence somente a ele àquele tempo porque ele já cumpriu a parte que diz
“ele converterá os corações dos pais aos filhos”, quando o ministério de
Elias esteve aqui em João Batista.
"E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os
corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o
fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto" (Lucas 1:17).

28 No ministério de João, “o coração dos pais” foram convertidos aos filhos.
Sabemos disso porque Jesus mesmo o disse. Mas Ele não disse que os corações
dos filhos foram convertidos aos pais. Isso ainda está por suceder. Os corações
dos filhos dos últimos dias serão convertidos aos pais do Dia de Pentecostes.
João preparou aos pais para que Jesus pudesse dar boas vindas aos filhos ao
entrar ao redil. Agora este profeta, sobre o qual cairá o Espírito de Elias,
preparará aos filhos para darem boas-vindas a Jesus.

29 João Batista foi chamado Elias por Jesus. Mat. 17 : 12
Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe
tudo o que quiseram...

30 A razão pela qual Jesus chamou a João de Elias, foi porque o mesmo
Espírito que esteve sobre Elias havia voltado sobre João, da mesma maneira
que o Espírito havia estado sobre Eliseu depois do reino de Acabe. Agora,
aquele mesmo Espírito voltará outra vez sobre outro homem um pouco antes da
vinda de Jesus. Ele será um profeta. Ele será vindicado como tal por Deus
mesmo. Sendo que Jesus mesmo, em carne, não estará sobre a terra para
vindicá-lo ( como Ele fez com João ), isto será feito então pelo Espírito Santo,
de modo que seu ministério de profeta será acompanhado de grande e
maravilhosa manifestação. Como profeta, cada revelação será vindicada, porque
cada revelação virá a acontecer. Assombrosos atos de poder serão efetuados
à sua ordem em fé. Então será proclamada a mensagem que Deus lhe tem
dado na Palavra para voltar o povo à verdade e ao verdadeiro poder de Deus.
Alguns escutarão, porém a maioria correrá efetivamente para se organizar e
rejeitá-lo.

31 Sendo este mensageiro-profeta de Apocalípse 10:7 o mesmo de Malaquias
4:5-6 será naturalmente igual a Elias e João. Ambos foram homens separados
das escolas religiosas de seus dias. Ambos eram homens do deserto. Ambos
agiram somente quando eles tinham o “Assim Diz o Senhor,” diretamente de
Deus por revelação. Ambos atacaram severamente as ordens e os líderes
religiosos de seus dias. Mas não somente isto, mas desta maneira atacaram
todos que eram corruptos ou que corromperiam outros. E notem, ambos
profetizaram muito contra mulheres imorais e seus costumes. Elias falou contra
Jezabel e João repreendeu a Herodias, a esposa de Filipe.
32 Ainda que ele não venha a ser popular, ele será vindicado por Deus. Assim
como Jesus autenticou a João, o Espírito Santo autenticou a Jesus, podemos
esperar que este homem será primeiramente vindicado pelo Espírito operando
em sua vida em atos de poder que serão incontestáveis e jamais encontrados
em qualquer outro lugar; e o próprio Jesus retornando, o vindicará, assim como
autenticou a João. João testificou que Jesus estava vindo. E este homem também,
como João, testificará que Jesus está vindo. E a própria volta de Jesus provará
que este homem verdadeiramente era o precursor da segunda vinda. Esta é a
evidência final que este é realmente o profeta de Malaquias 4, para o fim do
período dos gentios, o próprio Jesus aparecendo. Então será muito tarde para
aqueles que O rejeitaram.

33 A fim de mais tarde iluminar mais nossa apresentação deste profeta dos
últimos dias, permitam-nos especialmente notar que o profeta de Mateus 11:12
foi João Batista, aquele predito em Malaquias 3:1.
"Eis que eu envio o meu anjo, que preparará o caminho diante de mim;
e de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais, o anjo do concerto,
a quem vós desejais; eis que vem, diz o Senhor dos Exércitos" (Mal. 3 : 1).

"E, aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos
partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.
E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos
seus discípulos,
A dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro?
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas
que ouvis e vedes:
Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos
ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho.
E, bem-aventurado é aquele que se não escandalizar em mim.
E, partindo eles, começou Jesus a dizer às turbas, a respeito de João:
Que fostes ver no deserto? Uma cana agitada pelo vento?
Sim, que fostes ver? Um homem ricamente vestido? Os que trajam
ricamente estão nas casas dos reis.
Mas então que fostes ver? Um profeta? Sim, vos digo eu, e muito mais
do que profeta;
Porque este é de quem está escrito: Eis que diante da tua face envio o
meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho.
E em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não
apareceu alguém maior do que João Batista; mas aquele que é o menor
no reino dos céus é maior do que ele" (Mateus 11 : 1 - 11).

34 Isto já tem sucedido, já tem transcorrido, está finalizado. Porém note agora
em Malaquias 4:1-6:
"Porque eis que aquele dia vem ardendo como forno: todos os soberbos,
e todos os que cometem impiedade, serão como palha; e o dia que está
para vir os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que lhes não
deixará nem raiz nem ramo.
Mas para vós, que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, e
salvação trará debaixo das suas asas; e saireis e crescereis como os
bezerros do cevadouro.
E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos
pés naquele dia que farei, diz o Senhor dos Exércitos.

Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe
para todo o Israel, e que são os estatutos e juízos.
Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e
terrível do Senhor;
E converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a
seus pais; para que eu não venha e fira a terra com maldição".

35 Agora, imediatamente depois da vinda deste Elias, a terra será purificada
com fogo e os perversos se farão cinza. Naturalmente isto não acontecera ao
tempo de João ( o Elias para o seu dia ). O Espírito de Deus que predisse a
vinda do Mensageiro em Malaquias 3:1 ( João ), somente estava reiterando Sua
prévia declaração profética de Isaias 40:3, que havia sido feita aproximadamente
300 anos antes.
Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai
no ermo vereda a nosso Deus.

36 Agora, João por meio do Espírito Santo, vindicou a Isaias como também a
Malaquias em Mateus 3:3: "Porque este é o anunciado pelo profeta Isaias, que disse: Voz do que
clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas".

37 Podemos ver claramente nas Escrituras que o profeta de Malaquias 3 que
foi João, não era o profeta de Malaquias 4, posto que verdadeiramente, ambos,
João e este profeta dos últimos dias, tenham sobre si o mesmo Espírito que
estava sobre Elias.

38 Agora, este mensageiro de Malaquias 4 e de Apocalípse 10:7 fará duas
coisas. Primeiro: Segundo Malaquias 4, ele converterá os corações dos filhos
aos pais. Segundo: Ele revelará os mistérios dos sete trovões de Apocalípse 10,
os quais são as revelações contidas nos Sete Selos. Serão estes “mistériosverdades”
revelados divinamente que converterão os corações dos filhos aos
pais de Pentecostes. Será exatamente assim.

39 Mas considere isto também. Este profeta-mensageiro será em sua natureza
e seus modos como foram Elias e João. O povo do dia deste profeta-mensageiro
será igual ao povo dos dias de Acabe e também de João. E sendo somente o
coração dos filhos os que serão convertidos, então serão somente os filhos os
que escutarão. Nos dias de Acabe houve somente 7.000 israelitas de semente
verdadeira. Nos dias de João também houve muito poucos. Em ambas as eras,
o povo estava na fornicação e idolatria.

40 Quero fazer mais uma comparação entre o profeta-mensageiro de Laodicéia
e João o profeta-mensageiro que anunciou a primeira vinda de Jesus. O povo,
em seu tempo, confundiu a João com o Messias.
E este é o testemunho de João, quando os judeus mandaram de
Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu?
E confessou, e não negou; confessou. Eu não sou o Cristo. João 1:19-20.

41 Agora este profeta mensageiro do último dia terá tal grau de poder ante o
Senhor que haverá aqueles que o confundirão com o Senhor Jesus. ( Haverá
um espírito no mundo, no tempo do fim, que enganará a muitos e fará com que
creiam nisto.
Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe
deis crédito;
Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes
sinais e prodígios que, se possível fora enganariam até os escolhidos.
E eis que vo-lo tenho predito.
Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais; eis
que ele está no interior da casa; não acrediteis.) Mat. 24 : 23- 26.

42 Mas não vá você crer nisto. Ele não é Jesus Cristo. Ele não é o Filho de
Deus. Ele é um dos irmãos, um profeta, um mensageiro, um servo de Deus.
Ele não necessita de nenhuma honra maior do que recebeu João Batista quando
foi a voz que clamou: “Eu não sou Ele, porém Ele vem depois de mim”.

43 Antes de concluir esta parte que tem que ver com o mensageiro à Era de
Laodicéia, devemos considerar seriamente estes dois pensamentos. Em primeiro
lugar, esta era terá um só profeta-mensageiro. Apocalípse 10:7 diz: “quando ele
( singular ) começar a tocar.” Nunca tem havido uma era em que Deus haja
mandado a Seu povo dois profetas maiores ao mesmo tempo. Ele mandou a
Enoque ( só ); mandou a Noé ( só ); mandou a Moisés ( só ele tinha a Palavra,
ainda que outros também profetizaram ); João Batista veio só. Agora, neste
último dia deve vir um profeta ( não uma profetisa - ainda que nesta era entre
todos aqueles que pretendem expor a Palavra, o número de mulheres é maior
que o número de homens), e a Palavra infalível diz que ele ( o profeta ) revelará
os mistérios ao povo da última era e converterá o coração dos filhos aos pais.
Há aqueles que dizem que o povo de Deus vai se unir por meio de uma revelação
coletiva. Eu desafio esta declaração. Esta é uma suposição atrevida e inválida
em vista de Apocalípse 10 : 7. Eu não estou negando que haverá pessoas na
última era que profetizarão e que seus ministérios podem ser e ainda serão
corretos. Eu não nego que haverá profetas como nos dias de Paulo quando
houve um chamado Ágabo, um profeta que profetizou uma fome. Estou de
acordo que estas coisas são assim. Porém, eu nego, segundo a evidência infalível
da Palavra, que haja mais que um profeta mensageiro maior, que revelará os
mistérios contidos na Palavra e que ao mesmo tempo tem o ministério para
converter o coração dos filhos aos pais.

44 O “Assim Diz o Senhor” permanece por meio de Sua Palavra que não
falha, e permanecerá e será vindicada. Há um profeta mensageiro para esta
era. Baseando-me unicamente no comportamento humano, qualquer pessoa
sabe que onde há muitas pessoas, há também opiniões divididas acerca de
pontos menores de uma doutrina maior na qual todos concordam. Quem pois
terá o poder de infalibilidade, o qual há de ser restaurado nesta última era?
Porque esta última era voltará a manifestar a noiva da Palavra pura. Isso quer
dizer que teremos de novo a Palavra como foi dada e entendida perfeitamente
nos dias de Paulo. Vou lhe dizer quem terá este poder. Será um profeta tão
cabalmente vindicado que qualquer outro profeta em todas as eras, desde Enoque
até hoje; porque este homem de fato terá o ministério profético da pedra de
coroa, e Deus o mostrará. Ele não necessitará falar por si mesmo, Deus falará
por ele por meio da voz do sinal. Amém.

45 O segundo pensamento que deve ser selado sobre nossos corações é que
as sete eras da igreja começaram tanto com o anticristo como com o Espírito
Santo, Quem deve ser louvado para sempre.
Amados, não creais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são
de Deus; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. I João 4 : 1.

46 Vê você isto? O Espírito do anticristo é identificado com os falsos profetas.
As eras começaram com falsos profetas, e terminarão com falsos profetas.
Agora, naturalmente será um verdadeiro falso profeta no grande sentido daquele
homem mencionado em Apocalípse. Porém por agora, antes que ele seja
revelado, têm que aparecer falsos profetas.
Então se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe
deis crédito;
Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes
sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.
Eis que eu vo-lo tenho predito.
Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais; eis que
ele está no interior da casa; não acrediteis. Mateus 24: 23-26.

47 Estes falsos profetas são apontados por meio das seguintes Escrituras:
E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá
também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de
perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos
repentina perdição.
E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o
caminho da verdade. II Pedro 2:1-2.
Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo
comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas
próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. II Tim. 4 : 3 -4.
Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão
alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de
demônios. I Tim. 4 : 1.

48 Agora, em cada caso você notará que o falso profeta é um que está do lado
de fora da Palavra. Assim como mostrei que “anticristo” significa “anti-Palavra”,
estes falsos profetas vêm pervertendo a Palavra, atribuindo-lhe um significado
segundo seus próprios propósitos diabólicos. Tem notado você como é que
aqueles que guiam as pessoas à perdição, as atraem a si mesmos por meio do
temor? Dizem que se as pessoas não fizerem o que eles dizem, ou se forem,
então virá a destruição. Eles são falsos profetas porque um verdadeiro profeta
sempre nos guiará à Palavra, e unirá o povo a Jesus Cristo e não dirá às pessoas
que têm que temer o que ele diz, mas que temam o que diz a Palavra. Note
você como esta gente, tal como Judas, está em busca de dinheiro. Eles induzem
você a vender tudo que tem para dar a eles para seus projetos. Tomam mais
tempo para as ofertas do que para a Palavra. Aqueles que se atrevem a usar os
dons, farão uso de um dom que tem uma margem de erro, e logo pedem dinheiro
e se esquecem da Palavra, e dizem que isto é de Deus. Há pessoas que seguem
a essa gente, lhe sustenta, sofrem com eles e crêem neles, não sabendo que
são caminho de morte. Sim, o mundo está cheio de personificadores carnais.
Nos últimos dias se esforçarão para imitar ao profeta mensageiro. Os sete
filhos de Ceva trataram de imitar a Paulo. Simão, o mágico, tratou de imitar a
Pedro. Suas personificações serão carnais. Não poderão produzir o que produz
o verdadeiro profeta. Quando ele diz que o avivamento tem terminado, eles
sairão por todas as partes anunciando uma grande revelação e dizendo que o
que o povo tem é exatamente correto, e que Deus fará coisas maiores e mais
maravilhosas entre o povo. E o povo cairá em tal coisa. Estes mesmos falsos
profetas dirão que o mensageiro do último dia não é um teólogo e por isso não
deve ser escutado. Eles não poderão produzir o que produz o mensageiro; não
serão vindicados por Deus como o será o profeta do último dia, mas com suas
eloquentes palavras e com o peso da fama mundial, admoestarão ao povo a não
ouvirem a este homem ( o mensageiro ), e dirão que ensina erradamente. Eles
são exatamente como seus pais - os fariseus - que eram do diabo, porque eles
disseram que João e Jesus ensinaram errado.

49 Por que é que os falsos profetas estão contra o profeta verdadeiro e até
desacreditam seus ensinamentos? Porque são exatamente como foram seus
antepassados nos dias de Acabe quando se opuseram a Micaías. Houve
quatrocentos deles e todos estavam de acordo; e todos disseram a mesma
coisa, enganaram ao povo. Porém um só profeta - somente um - tinha a verdade
e todos os demais estavam equivocados porque Deus havia dado a revelação a
um só.

50 Tenha você muito cuidado com estes falsos profetas, porque eles são lobos
vorazes.

51 Se ainda tem você dúvidas acerca disto, rogarei a Deus para que lhe encha
de Seu Espírito e lhe guie por Seu Espírito, porque os escolhidos não podem ser
enganados. Entendeu você isso? Não há nenhum homem que possa enganar a
você. Paulo, se houvesse estado em erro, não haveria podido enganar aos
escolhidos. E naquela era de Éfeso os escolhidos não podiam ser enganados
porque eles provaram aos falsos apóstolos e falsos profetas e encontraram que
eram mentirosos e os lançaram fora. Aleluia! Suas ovelhas ouvem Sua Voz e O
seguem. Amém. Eu o creio.

Edison

Mensagens: 78
Data de inscrição: 23/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum