Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Ter Jun 26, 2012 12:16 pm

A Paz de DEUS esteja em nossos corações e de nossas famílias.

Queridos Irmãos foristas.
Crio esse tópico como um pedido de socorro, e conto com a ajuda dos Irmãos, para me esclarecerem, para me corrigirem, para me ensinarem.

Conheci a Congregação Crista no Brasil por revelação (não posso nem contar como, para não escandalizar os Irmãos, pois sei que muitos não acreditarão).

Agora há algum tempo, estão aparecendo alguns modernismos, algumas novidades, que me entristecem muito.

1) Alguns Irmãos na presidência do culto estão oferecendo a pregação da SANTA PALAVRA DE DEUS a Irmãos que simplesmente aparecem dizendo ser "de fora" e ter o dom da Palavra, quando eu acho que esse oferecimento deveria ser apenas a Irmãos comprovadamente conhecidos do Irmão que está presidindo.

2) Aí, com a "ajuda" desses Irmãos de fora, são feitos cultos muito gritados.

3) Os cultos terminando além (sempre) do tempo previsto de uma hora e meia. Entendo exceções ao horário, mas não consigo entender a frequência com que isso tem acontecido.

4) Agora, tenho notado que há um copo dágua, de que o Pregador se serve no meio da pregação. Só entendo isso no caso de Irmãos velhinhos, ou doentes. Mas não entendo Irmãos jovens precisando de beber água durante a pregação de 30 minutos.

5) E o anúncio para a Irmandade não perder o culto no dia tal, porque "estará conosco o Irmão tal, de tal lugar".
Não entendo isso também.

Os Irmãos podem por misericórdia continuar esse tópico com suas opiniões, para que eu tente chegar a um equilíbrio na minha tristeza com esses modernismos?

É um pedido de socorro, por causa da minha tristeza.

DEUS nos abençoe a todos.
Ljiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Qua Jun 27, 2012 9:47 am

1) Alguns Irmãos na presidência do culto estão oferecendo a pregação da SANTA PALAVRA DE DEUS a Irmãos que simplesmente aparecem dizendo ser "de fora" e ter o dom da Palavra, quando eu acho que esse oferecimento deveria ser apenas a Irmãos comprovadamente conhecidos do Irmão que está presidindo.
2) Aí, com a "ajuda" desses Irmãos de fora, são feitos cultos muito gritados.
Já faz algum tempo que venho notando esse fenômeno, e inclusive já me referi a isso em outras postagens mais antigas. A meu ver, trata-se de mera imprudência por parte de pessoas ligadas ao ministério, que deveria vigiar mais.

3) Os cultos terminando além (sempre) do tempo previsto de uma hora e meia. Entendo exceções ao horário, mas não consigo entender a frequência com que isso tem acontecido.
Idem.

4) Agora, tenho notado que há um copo dágua, de que o Pregador se serve no meio da pregação. Só entendo isso no caso de Irmãos velhinhos, ou doentes. Mas não entendo Irmãos jovens precisando de beber água durante a pregação de 30 minutos.
Pessoalmente não acho que a presença do copo seja "algo de mais". Porém alguns irmãos de banco realmente se sentem incomodados, pois muitas vezes também eles estão com sede e não podem sair para ir ao bebedouro. Quando faço as evangelizações, levo minha própria garrafinha de água, mas procuro - em sinal de respeito - não me servir dela em público.

5) E o anúncio para a Irmandade não perder o culto no dia tal, porque "estará conosco o Irmão tal, de tal lugar".
Não entendo isso também.
Há muitos e muitos anos ouço constantes exortações no sentido de que não se faça esse tipo de anúncio. Mas há pessoas que são useiras e vezeiras em fazê-lo. Parece que morreriam profundamente infelizes se não o fizessem...

A preocupação do irmão é legítima, pois é nessas pequeninas coisas que nosso inimigo comum vem se infiltrando em nossas fileiras e deixando seu rastro, embora sutil.
Compete a cada um de nós sermos viglantes e não permitirmos que o incircunciso venha a nos influenciar em nada.
Não se pode dizer que o ministério tenha sido "negligente" nesses casos, pois o problema é de ingenuidade ou de teimosia mesmo. Exortação existe. Falta apenas o seu cumprimento.
Mas corre o risco de a culpa ser novamente lançada sobre os encarregados de orquestra, os cooperadores de jovens, etc.
Portanto precisamos ser vigilantes quanto a este fenômeno, o qual a meu ver é ainda mais grave.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  "Ekklésia Christiana" em Qui Jun 28, 2012 4:25 pm


Saudações cristãs,

Irmão Luiz Flávio...




... De repente, um homem em trajes de "fino trato" adentra à casa de oração, acena coletivamente a todos os presentes e a passos firmes dirige-se até o primeiro banco. Com "ares ministeriais" - e aparentemente seguro de si - saúda aos seus "pares"... Apresenta-se a estes, mencionando-lhes suas supostas patentes e o local do seu exercício.

O que lhes assegura, contudo, de que se trate de um efetivo membro do Corpo Ministerial regularmente constituído?

Na maioria das vezes, o pretenso ministro descreve-se como obreiro em localidades um tanto distantes, senão longínquas...

Tão logo iniciados os testemunhos, o ilustre visitante toma a palavra e relata feitos que o caracterizam como um intrépido evangelista... Gradualmente alterna o tom, e estrategicamente, conduz a plateia indouta à emotividade aguda...

Em face de suas aparentes habilidades e espirituais virtudes, muitos dos responsáveis locais - violando-se ao "protocolo litúrgico" - suprimem o hino subsequente, franqueando-lhe - sem maiores hesitações - a leitura e exortação do fragmento bíblico.

E então, dá-se início à tragicomédia. O texto em si é posto à parte, seguindo-se as profecias, os sapateios, os rodopios, os "trava-línguas" e desatinos, em galopante descompasso...

Por fim, a prece de encerramento e seu incontido alarido o aclamam como "homem de Deus", "ungido do Senhor", " O atalaia", " O enviado", entre outros tantos epítetos...



_______


Essa é uma narrativa fictícia, todavia, descreve uma ocorrência comum e já corriqueira, remontando às primeiras décadas de nossa instalação em território nacional, conforme se depreende de alguns documentos internos ou mesmo tópicos emitidos.

Apesar de sua acirrada depreciação e crítica para com a tradicional "carteirinha de pastor" (ou membro), a Congregação Cristã viu-se de tal modo exposta a probabilidade de risco representada por elementos caracterizados como oportunistas e dúbios, que deliberou pela elaboração de um demonstrativo similar: a credencial ministerial.

A cédula identificatória atesta acerca do ministro e sua respectiva “categoria ministerial”, inibindo ações escusas e abusos diversos. Algumas, inclusive, acrescidas de um dispositivo magnético e/ou criptográfico de modo a autenticar a co-participação em eventos de maior expressão institucional.

Nossos irmãos são atualmente exortados à (discreta) apresentação de sua credencial em localidades distantes ou alheias à sua circunscrição regional. Ocorre, no entanto, que num gesto de cordialidade incauta, o ministro local - na maioria das vezes - abdica desse “ofensivo formalismo”.

Novos contextos requerem instrumentais adequados à sua demanda. Embora crédulos quanto à idoneidade e caráter deste ou daquele - que eventualmente possa apresentar-se como sendo um “conservo” - compete a nossos obreiros regulares assegurarem-se de que o proferido efetivamente procede.

Quanto ao copo d´água, nada vejo que excessivo ou inoportuno. Longe de se configurar como o precursor de futuras e ilicitas regalias.




Atenciosamente,

Em Caridade”

Irmão Ednelson

"Ekklésia Christiana"

Mensagens : 497
Data de inscrição : 18/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Qui Jun 28, 2012 10:43 pm

Na CCB existe precariamente uma cédula que identifica o seu portador, cuja eficácia restringe-se a permitir-lhe o ingresso às RGEs ou às reuniões ministeriais, dificilmente (acho que nunca) sendo exigida nas igrejas, pois faz parte do sistema CCBREUNIÃO, que não está ativo em dias normais de Culto.
Tal cédula, apesar de conter um código de barras (que mesmo assim consegue escandalizar os menos esclarecidos que acham que esse código é "coisa do cramunhão") não tem foto ou quaisquer outros dados cadastrais.
Em termos de falta da burocracia adequada, a CCB é sem dúvida alguma a igreja mais vulnerável pois todas as demais igrejas evangélicas têm identificações completas e mecanismos administrativos que impedem totalmente esse tipo de "invasão".
Na maioria das igrejas evangélicas, um pastor - mesmo devidamente identificado - não tem chance alguma de "cantar fora de sua freguesia"...
O problema por aqui é que, ao tentar começar a organizar qualquer coisa de forma mais segura, tem sempre aqueles que se escandalizam, que acham "absurdo", "não precisa", que dizem que "tem gente querendo botar a mão na obra", e que vão encher os corredores e os banheiros de "disse-me-disses", que vão lotar os foruns da internet com "denúncias", etc.

Novidades sempre existiram, sendo que nem todas foram ruins. Algumas foram muito boas, por sinal.
A primeira "novidade boa" (bem, uma "novidade" beeem antiga...) no âmbito geral cristão foi sem dúvida alguma a instituição dos diáconos.
Na CCB temos também a instituição da meia-hora, onde se pretende um chamamento da irmandade à comunhão antes do início do Santo Culto.

O uso do copo com água é algo para conforto de quem está ocupando a tribuna, e sob o ponto de vista doutrinário ainda não tem nenhuma contraindicação.
Pessoalmente vejo que algumas pessoas poderão eventualmente se sentir desrespeitadas ao ver alguém servir-se de água, quando elas mesmas se encontram circunstancialmente privadas de fazê-lo.
Esse tipo de reação tem sido muito comum durante palestras em geral, quando o palestrante faz aquelas pausas para "molhar a goela".
E - como tudo pode acontecer - pode ser que alguém muito eventualmente chegue a pensar que aquele copo d'água tenha também "finalidades místicas", como se usa fazer por aí hoje em dia.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  "Ekklésia Christiana" em Sex Jun 29, 2012 12:20 am


Saudações cristãs,

Irmão Sérgio...




"...restringe-se a permitir-lhe o ingresso às RGEs ou às reuniões ministeriais, dificilmente (acho que nunca) sendo exigida nas igrejas..."

_______


Em todo o Estado de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, entre outros, determina-se que a credencial ministerial acompanhe ao seu portador quando de sua presença em regiões ou setores alheios, ou nos quais faça-se desconhecido.

Parte-se do elementar raciocínio (excetuando-se o simulacro) de que portá-la constitui, por si só, um indicativo de co-participação institucional.

Parece-me, segundo seus relatos, que entre São Paulo e Rio de Janeiro ainda prevalecem algumas lacunas, sobretudo, no âmbito comunicativo. Nada que não se possa, oportunamente, sanar.



Atenciosamente,

"Em Caridade”

Irmão Ednelson

"Ekklésia Christiana"

Mensagens : 497
Data de inscrição : 18/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Sex Jun 29, 2012 6:46 am

A Paz de DEUS seja conosco e com nossas famíilias.

Uma das características mais importantes que acho num culto é a igualdade, não sei se estou me explicando bem.
Um Servo de DEUS por ofício se alimentando espiritualmente a si próprio e a toda a Irmandade, com o alimento vindo dos céus.
Bebendo ele próprio da água que vem dos céus e saciando a sede das outras ovelhas do SENHOR JESUS.
Isso é muito bonito e maravilhoso. Não haver distinção entre a ovelha recebedora/distribuidora e as ovelhas apenas recebedoras.

Não deveria haver distinção entre o Pregador e os ouvintes, a não ser por idade ou por doença.

Ficar um Pregador de 25, 30 anos bebendo água na presença de Irmãos de 60, 65, 70 muitas vezes doentes, diabéticos, cheios de problemas, cansados das caminhadas e dos ônibus não está certo.
O tempo de culto é racionalmente curto e não precisa um Irmão se distinguir com um conforto que é "negado" aos demais.
Isso sem falar nas criancinhas.

Só me lembra aquelas mesas cheias de líderes importantes em reuniões eclesiásticas cada um deles com seus copos dágua, fazendo poses antes e depois de terem a sua vez de falar.

Lembra-me também de reuniões de políticos em suas mesas, com seus copos dágua.

Os servos de DEUS são homens preparados, provados e aprovados, e não precisam ser distinguidos por copos dágua.

Pois é, Irmãos, me ajudem porque esse modernismo me traz muita tristeza.
Não há necessidade dessa imitação ridícula.

DEUS nos abençoe.
Luiz Flavio.

DEUS nos abençoe.
Luiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Sex Jun 29, 2012 4:50 pm

@ irmão Ednelson:

Na página 2 (Prefácio) do Manual do CCBREUNIÃO está descrito textualmente que o sistema "está destinado para todas as tarefas inerentes a RGE e as demais Reuniões realizadas pela Congregação. O sistema foi desenvolvido para controlar o acesso de colaboradores nas dependências da Congregação, o acesso dos irmãos e irmãs nas reuniões, emissão de cartão de identificação e emissão de listagens necessárias para arquivo".
Lembrando que embora os cartões de colaboradores avulsos, da Administração e do Conselho Fiscal são emitidos na própria Regional, os cartões referentes ao Ofício Ministerial são emitidos unicamente pela Séde Administrativa do Brás e remetidas para as Regionais.
Embora seja louvável - e benvinda - essa atitude do ministério no Paraná, Mato Grosso do Sul, Estado de São Paulo, e mesmo excedendo a finalidade prevista, ainda assim esse tipo de controle na CCB é incipiente e poderia, caso o Ministério achasse interessante, ser muito melhorado.
Primariamente, qualquer um que achasse um cartão desses no chão poderia - em dia de culto, não nas Reuniões - fazer-se passar por membro do Ministério, com boas chances de jamais ser flagrado.
O problema contudo não está na emissão ou não-emissão de cartões, mas na necessidade de uma norma administrativa bem elaborada e totalmente nova, pensada exclusivamente com vistas à eficiência.
Lembrando que qualquer norma mal elaborada, em qualquer lugar e a qualquer tempo, transforma-se facilmente numa ingerência.
Portanto, se desejarem realmente acabar com o problema, deverão ser acionadas pessoas com competência para tal, as quais elaborarão um plano de ação otimizado e evidentemente se reportarão constantemente ao Ministério até que tudo esteja considerado aprovado.
Compete-me a essa altura explicar o óbvio: Não estou pretendendo reformar ou modificar a Congregação. A CCB existe há 100 anos sem esse tipo de controle, e o problema não tem sido tão notável a ponto de "requerer modificações". Apenas que, se eventualmente for desejado algum tipo de controle efetivo e eficaz sobre o fenômeno relatado neste post, aí sim, deve-se evitar qualquer tipo de improvisação.


@ irmão Luiz Flavio:

Sua opinião coincide com a minha. Existirão alguns casos emergenciais em que o servo que está com a palavra realmente necessitará servir-se de água.
Quando não for uma necessidade premente, acho que seria prudente e gentil o servo abster-se de fazê-lo antes do final do culto.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  izaias em Sab Jun 30, 2012 9:33 am

Lamentavelmente está faltando muita consagração no meio do povo e isto nada mais é do que os “Modernismos”; devemos ter moderação em tudo e evitar exageros, II Timóteo 1 (7).
Muitos não entendem que sagrar-se significa: ação ou efeito de consagrar (-se), condição daquele ou daquilo que se consagra.
Em outras palavras, ato de atribuir a alguma coisa um caráter sagrado.
O púlpito nas congregações significa o tribunal de DEUS na Terra, todas as noites o Espírito Santo de DEUS está neste lugar para julgar, doutrinar, salvar, redarguir, ensinar, profetizar e nos libertar.
O homem é apenas homem, não tem nada quando O Espírito Santo está ausente; e, muitos não entendem que só DEUS tem poder de consolo e remissão.
Este ato está na Bíblia Sagrada; por meio do qual se dedica uma pessoa ou uma coisa ao serviço de DEUS, Êxodo 29 (1~37); Levitico 8 e Ezequiel 44 (29).
Devemos nos dedicar ao serviço de DEUS, II Cronicas 29 (31) e Atos 6 (4).
avatar
izaias

Mensagens : 165
Data de inscrição : 12/05/2011
Idade : 66
Localização : Capital - São Paulo - SP

Ver perfil do usuário http://izanor@ig.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Sab Jun 30, 2012 5:12 pm

Ou seja, precisamos ter especial cuidado com as coisas que aparentemente "não tem importância", pois muitas vezes é exatamente por elas que o inimigo encontra uma brecha nos corações incautos.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Valder em Dom Jul 01, 2012 7:55 pm

Não vejo como modernismo por que:

1. No passado, os primitivos aceitavam o fato de que o Espírito de Deus podia usar de Quem Ele quisesse. Corria-se o risco de dar liberdade para um solícito, mas colhia-se muito maiores bênçãos. Modernismo é desconfiar de todos até que se prove o contrário.

2. Os cultos gritados podem estar beneficiando alguém, nós não sabemos. Devemos dar graças a Deus, se já formos crentes amadurecidos na fé, não necessitando de nenhuma pregação em tom elevado.

3. Cultos que passam das 9h sempre houve. São regras estabelecidas pelo homem, as quais alguns irmãos de ministério mesmo, não se sujeitam.

4. No passado já havia ancião com um copo d’água na tribuna e sempre Deus se usou dele maravilhosamente bem. A necessidade de molhar a garganta não tem relação com a idade, como o irmão colocou, mas com o uso que se faz da garganta , o esforço, as características próprias de cada um.
Geralmente quem toma um copo de água durante a pregação, prega mais do que 30 minutos e falam num rítmo mais acelerado do que o normal dos pregadores.

Nenhum crente é proibido de sair durante o culto e ir tomar água, principalmente se for doente, idoso. Imagine alguém lendo as linhas do irmão Flávio, vai pensar que a CCB não respeita nem o idoso, nem as crianças, pois dá a entender que não podem beber água durante um culto, o que não é verdade. Muitos leitores não atentam para as aspas que o irmão colocou na palavra "negado" e podem pegar no sentido literal de proibição real. Se um crente fica sem tomar água durante 1:30 h, é por livre e espontânea vontade, principalmente quando a comunhão está boa. Nenhum pai ou mãe jamais irá deixar de dar água para a criança só porque está num culto, pois se assim agir, é um insensato e fanático religioso.

Todas as colocações a respeito do copo d’água não se sustentam. Dizer que deve haver igualdade entre o ministro e os membros é irreal. A igualdade está na salvação, que é uma só. Enquanto aqui neste mundo, o cargo exige postura, atitudes diferenciadas de um membro comum, pois são olhados e cobrados pelo cargo que ocupam na Obra. É preferível ver um copo d'água na tribuna, do que vê-lo tossindo, pigarreando ou rouco, sem poder descer da tribuna e ir tomar água.

No demais, prestemos atenção nas palavras que saem da sua boca e esqueçamos do seu copinho de água ao lado. Afinal, o que importa mesmo é se Deus fala na sua boca.

5. No passado havia anúncios da visita de irmãos revestidos. Quem assim faz tem prazer que a irmandade desfrute do dom, alguns raros no nosso meio. Como já disse, se não temos necessidade, deixemos nas mãos de Deus, pois muitas almas necessitam. Muitos milagres, libertações, derramamento do dom de línguas, etc, Deus tem feito desta forma.

Valder

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Seg Jul 02, 2012 9:20 am

A Paz de DEUS esteja em nossos corações.

Irmão Valder em preto e eu respondo em vermelho.

Não vejo como modernismo por que:

1. No passado, os primitivos aceitavam o fato de que o Espírito de Deus podia usar de Quem Ele quisesse. Corria-se o risco de dar liberdade para um solícito, mas colhia-se muito maiores bênçãos. Modernismo é desconfiar de todos até que se prove o contrário.
No presente, também. Todos aceitamos o fato de que o ESPÍRITO DE DEUS pode usar quem ELE quiser.
É que, como na maioria das vezes, não consegui explicar-me.
Tento novamente: por uma questão de prudência, o Irmão que atende o culto só deve oferecer essa presidência ou a pregação da Palavra a Irmãos conhecidos e de bom testemunho, de preferência que fazem parte do Ministério.
Se DEUS revelar a Palavra a outro Irmão, louvado seja DEUS.
Só para constar: existe uma diferença entre ter prudência, e ter desconfiança.


2. Os cultos gritados podem estar beneficiando alguém, nós não sabemos. Devemos dar graças a Deus, se já formos crentes amadurecidos na fé, não necessitando de nenhuma pregação em tom elevado.
Pois eu sei: qualquer culto, mesmo gritado, sempre beneficiará alguém (ou muitos, ou todos). Mas não é esse o ponto. De novo cito a necessidade de prudência. Não nos esqueçamos que pode haver dentro do culto Irmãos doentes, com dor de cabeça, criancinhas bebês dormindo, e outras coisas mais.
Os gritos podem inclusive impedir que alguns ou muitos Irmãos deixem de ouvir a Palavra.
E pode ser que os gritos incomodem os vizinhos da igreja.


3. Cultos que passam das 9h sempre houve. São regras estabelecidas pelo homem, as quais alguns irmãos de ministério mesmo, não se sujeitam.
Sim, todos os ensinamentos são regras estabelecidas pelo homem, só que não nos devemos nos esquecer que essas regras foram sob a guia do ESPÍRITO SANTO DE DEUS. E devem ser obedecidas.
Nós devemos basear nossos pontos de vista com Amor e Altruísmo por todos, nos lembrando de que nem todos têm necessariamente as nossas condições.
Há Irmãos que têm de esperar ônibus, outros têm trabalho noturno, outros moram longe da igreja, outros estão com criancinhas pequenas, outros têm escola ou trabalho no dia seguinte, outros estão com seus cônjuges (às vezes não crentes) esperando em casa.
Fora isso tudo, não me referi a exceções de ultrapassagem do horário de culto. Referi-me à grande frequência com que isso tem acontecido.
Resumindo: prudência, sempre prudência.


4. No passado já havia ancião com um copo d’água na tribuna e sempre Deus se usou dele maravilhosamente bem. A necessidade de molhar a garganta não tem relação com a idade, como o irmão colocou, mas com o uso que se faz da garganta , o esforço, as características próprias de cada um.
Perdoe-me, querido Irmão em JESUS CRISTO, contrariá-lo, mas você está errado. A sede tem relação com idade, com doenças (muitas adquiridas pela própria idade). São essas "características próprias de cada um" que você mesmo citou.

Geralmente quem toma um copo de água durante a pregação, prega mais do que 30 minutos e falam num rítmo mais acelerado do que o normal dos pregadores.
O tempo de pregação deve ser determinado por nosso DEUS, e não pelo copo dágua, como também o ritmo da pregação.

Nenhum crente é proibido de sair durante o culto e ir tomar água, principalmente se for doente, idoso. Imagine alguém lendo as linhas do irmão Flávio, vai pensar que a CCB não respeita nem o idoso, nem as crianças, pois dá a entender que não podem beber água durante um culto, o que não é verdade. Muitos leitores não atentam para as aspas que o irmão colocou na palavra "negado" e podem pegar no sentido literal de proibição real.
Sua observação é correta. Dei mancada. Perdoem-me, todos.

Se um crente fica sem tomar água durante 1:30 h, é por livre e espontânea vontade, principalmente quando a comunhão está boa.
Isso deve valer também para o Irmão que atende o culto e para o Pregador, não é verdade? Exceção haja apenas para os velhinhos e/ou doentes.

Nenhum pai ou mãe jamais irá deixar de dar água para a criança só porque está num culto, pois se assim agir, é um insensato e fanático religioso.

Todas as colocações a respeito do copo d’água não se sustentam. Dizer que deve haver igualdade entre o ministro e os membros é irreal.
Ê, Irmão Valder, eu não disse que deve haver igualdade entre o ministro e os membros, de modo geral. O que eu disse é que não deve haver, como modismo, diferença entre o Pregador e os membros, um matando a sua sede na hora que lhe convém e os outros não.

A igualdade está na salvação, que é uma só. Enquanto aqui neste mundo, o cargo exige postura, atitudes diferenciadas de um membro comum, pois são olhados e cobrados pelo cargo que ocupam na Obra.
Concordo, querido Irmão em JESUS CRISTO. Não resisto, tenho de acrescentar: os membros comuns também têm de ter postura, atitudes diferentes dos que não são crentes.

É preferível ver um copo d'água na tribuna, do que vê-lo tossindo, pigarreando ou rouco, sem poder descer da tribuna e ir tomar águal
É verdade, como exceção. Mas isso não justifica a moda de interromper a pregação da Palavra para copos dágua.

No demais, prestemos atenção nas palavras que saem da sua boca e esqueçamos do seu copinho de água ao lado. Afinal, o que importa mesmo é se Deus fala na sua boca.
Verdade, Irmão. Foi por isso até que pedi socorro aos Irmãos: não consigo me esquecer daquele copinho dágua olhando pra mim nos cultos e sendo tomado solenemente por um jovem, forte e saudável Irmão Pregador.
Mas vou tentar seguir esse seu conselho, que na verdade é muito bom, louvado seja DEUS.


5. No passado havia anúncios da visita de irmãos revestidos. Quem assim faz tem prazer que a irmandade desfrute do dom, alguns raros no nosso meio. Como já disse, se não temos necessidade, deixemos nas mãos de Deus, pois muitas almas necessitam. Muitos milagres, libertações, derramamento do dom de línguas, etc, Deus tem feito desta forma.
Na hora do culto, DEUS reveste os "não revestidos" e tudo se passa segundo a SUA bendita gloriosa vontade.
...............................
Termino, repetindo que, no meu ponto de vista, a Congregação Cristã no Brasil não deve ficar imitando outras Igrejas.
Para isso ela tem sua personalidade própria, guiada e determinada por DEUS.
E repetindo que existem ensinamentos a respeito (tive acesso a eles agora há uns dias, pela primeira vez).
Os ensinamentos são para ser obedecidos, e não contestados.


DEUS nos abençoe a todos.
Luiz Flavio.


Última edição por Luiz Flavio N. Facci em Seg Jul 02, 2012 9:23 am, editado 1 vez(es) (Razão : Só melhorei a formatação.)

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Seg Jul 02, 2012 10:18 am

1. No passado, os primitivos aceitavam o fato de que o Espírito de Deus podia usar de Quem Ele quisesse. Corria-se o risco de dar liberdade para um solícito, mas colhia-se muito maiores bênçãos. Modernismo é desconfiar de todos até que se prove o contrário.
Na minha opinião ainda existe tal pensamento, que aliás norteia a Congregação. Tudo aqui ainda é movido pelo Espírito Santo de Deus. E mesmo através dos assim-chamados erradamente de "solicitos" (o correto seria "afoitos") o Senhor se usa, pois jamais despede Sua igreja vazia. Assim aprendemos.
Porém existem casos em que "ser solícito" pode ser sinônimo de "não pertencer a um determinado grupo em especial".
Os solícitos de que trata a Bíblia foram Abraão, Isaías, Maria, etc. e até mesmo Tito "cuja solicitude foi abençoada pelo Espírito Santo". Judas e outros que saíram "trocando os pés pelas mãos" não são descritos assim.
2. Os cultos gritados podem estar beneficiando alguém, nós não sabemos. Devemos dar graças a Deus, se já formos crentes amadurecidos na fé, não necessitando de nenhuma pregação em tom elevado.
Na minha opinião, cultos "gritados" na verdade não beneficiam a ninguém, e consegue-se trocar grande parte de virtude e eficácia pela mera emoção carnal.
3. Cultos que passam das 9h sempre houve. São regras estabelecidas pelo homem, as quais alguns irmãos de ministério mesmo, não se sujeitam.
Eu mesmo já assisti a um culto em um lugar distante daqui, onde a exortação da Palavra terminou às 22:10h.
"Um absurdo" em termos gerais, porém naquele caso específico foi bastante compensador. Nem deu para que eu sequer me preocupasse com a viagem de volta ao Rio de Janeiro, porque ali foi um movimento visivelmente da parte de Deus, e tudo que Deus faz dá certo. Peguei meu ônibus de volta na hora exata e não me atrasei para a reunião ministerial na manhã do dia seguinte.
O entendimento da orientação é para que o santo serviço de culto termine em 99,99% das vezes dentro de um horário razoável. Há inúmeros motivos para isso, e relacioná-los aqui seria algo muito extenso. Mas já vi casos em que o culto terminando às 21:05h já tinha gente telefonando para o ancião para denunciar o cooperador. E localidades onde o culto sempre termina depois de 21:00h e nunca ninguém se viu motivado a fazer qualquer reclamação. E já vi um saudoso servo de Deus pregar a Palavra em apenas 7 minutos, terminando o culto rigorosamente no horário.
4. No passado já havia ancião com um copo d’água na tribuna e sempre Deus se usou dele maravilhosamente bem. A necessidade de molhar a garganta não tem relação com a idade, como o irmão colocou, mas com o uso que se faz da garganta , o esforço, as características próprias de cada um.
Geralmente quem toma um copo de água durante a pregação, prega mais do que 30 minutos e falam num rítmo mais acelerado do que o normal dos pregadores.
Conforme afirmei antes, necessidade é uma coisa, faciidade desnecessária é outra.
Temos por aqui um ancião dentre os mais jovens, que tem necessidade especial de servir-se de água durante o culto, e a irmandade recebe isso com muita naturalidade. O problema é que não recebe essa "proliferação dos copos d'água" com a mesma naturalidade.
Nenhum crente é proibido de sair durante o culto e ir tomar água, principalmente se for doente, idoso. Imagine alguém lendo as linhas do irmão Flávio, vai pensar que a CCB não respeita nem o idoso, nem as crianças, pois dá a entender que não podem beber água durante um culto, o que não é verdade. Muitos leitores não atentam para as aspas que o irmão colocou na palavra "negado" e podem pegar no sentido literal de proibição real. Se um crente fica sem tomar água durante 1:30 h, é por livre e espontânea vontade, principalmente quando a comunhão está boa. Nenhum pai ou mãe jamais irá deixar de dar água para a criança só porque está num culto, pois se assim agir, é um insensato e fanático religioso.
Aí é que está o X da questão: Nada na Graça é ou pode ser "proibido". De uma forma geral, qualquer um pode muito bem levantar-se e ir ao bebedouro durante o culto, mas em geral as pessoas por questão de disciplina individual se abstém de fazê-lo. Isso é uma inibição natural a que o ser humano, maiormente o Crente, se impõe. Penso eu que eventualmente a ida de mais de um ou dois irmãos ao bebedouro poderia tirar a comunhão de toda a irmandade. Não se trata portanto de uma questão de proibição, mas do uso de bom senso.
Todas as colocações a respeito do copo d’água não se sustentam. Dizer que deve haver igualdade entre o ministro e os membros é irreal. A igualdade está na salvação, que é uma só. Enquanto aqui neste mundo, o cargo exige postura, atitudes diferenciadas de um membro comum, pois são olhados e cobrados pelo cargo que ocupam na Obra. É preferível ver um copo d'água na tribuna, do que vê-lo tossindo, pigarreando ou rouco, sem poder descer da tribuna e ir tomar água.
Como assim, "todas as colocações a respeito do copo d’água não se sustentam"? O irmão acaba de também fazer uma colocação e já a anula? Como assim "igualdade irreal"? Quem nos irmanou foi o Senhor Jesus,e retirou a distância que havia entre nós e os sacerdotes ou os reis.
O que nos diferencia é a natureza de nossa missão na obra: Eles foram instituídos para ministrar, para aconselhar, para liderar e nós para sermos seus iguais, na execução de nossa parte. Mas para isso somos rigorosamente iguais. De outra forma não seríamos Cristãos.
E, mais uma vez, não se trata de proibir os irmãos de beber água (?????) mas de conscientizar a cada um de nós a não fazê-lo de forma a parecer que estamos agindo de forma acintosa para com a irmandade.
No demais, prestemos atenção nas palavras que saem da sua boca e esqueçamos do seu copinho de água ao lado. Afinal, o que importa mesmo é se Deus fala na sua boca.
Pois é. Realmente é isso que importa, e Deus realmente fala através da boca de seus servos. Venho de outros caminhos que exigiram de mim uma disciplina muito grande e em geral os acontecimentos periféricos não tiram a minha atenção exceto por curtíssimos intervalos de tempo. Porém é notório que a maioria de nós se distrai facilmente com pequenas coisas, seja uma criança correndo pela igreja, ou algum pássaro que entra pela janela (na minha comum já entrou uma barata voando e foi o maior transtorno), ou um dentre as dezenas de músicos que naquele dia veio com um instrumento dourado (diferente dos outros dias), ou uma dentre as centenas de irmãs que veio com um véu com um filetezinho cor de rosa, enfim, tudo é considerado motivo para distrações. E o tal copo, quando não visto com naturalidade, pode ser mais uma dessas distrações.
5. No passado havia anúncios da visita de irmãos revestidos. Quem assim faz tem prazer que a irmandade desfrute do dom, alguns raros no nosso meio. Como já disse, se não temos necessidade, deixemos nas mãos de Deus, pois muitas almas necessitam. Muitos milagres, libertações, derramamento do dom de línguas, etc, Deus tem feito desta forma.
"Anunciar a visita de irmãos revestidos" pode ser como uma faca de dois gumes, e quem assim faz pode não ter simplesmente o prazer docemente ingênuo de que a irmandade desfrute o dom, mas ter outras intenções menos nobres (somente Deus é quem sonda os corações). Já existe ensinamento a esse respeito, volta e meia se bate na mesma tecla, todos os que tinham de entender já entenderam, agora só falta mesmo é o cumprimento.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Seg Jul 02, 2012 11:08 am

A Paz de DEUS seja em nossos corações e de nossas famílias.

Eu escrevo, escrevo, escrevo e muitos não me entendem.
Vem o Irmão Sergio, explica, e tudo fica esclarecido.

Já sei o motivo: é que eu não tenho o dom de me fazer claro. Escrevo de modo muito confuso.
Sei mais falar do que escrever.

Fazer o quê, né?
É difícil aprender agora nos meus 70.
Mas vou continuar tentando. Shocked

DEUS nos abençoe a todos.
Luiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  "Ekklésia Christiana" em Seg Jul 02, 2012 12:47 pm


Saudações cristãs,

Irmão Luiz Flávio...




Nada vejo de complexo ou obscuro em sua colocações.

O que ocorre é que a maioria tende a divergir - parcial ou integralmente - quanto àquilo que é posto.

Fato, aliás, comum entre distintas gerações ou contextos.



Atenciosamente,

"Em Caridade"

Irmão Ednelson

"Ekklésia Christiana"

Mensagens : 497
Data de inscrição : 18/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Seg Jul 02, 2012 7:40 pm

Também com relação aos tais irmãos revestidos: Já presenciei um caso em que um irmão - antigo no ministério e sabidamente revestido - convidado e anunciado com antecedência, e instado a ler e exortar a Palavra, exatamente naquele dia faltou-lhe o revestimento que era esperado e ele fez a sua pregação de forma antinatural, apoiada totalmente em jargões, como é comum em alguns outros apriscos.
Todos sentiram a diferença. Durante quase toda a pregação faltou aquele tão conhecido sabor de "pão quentinho", de "pasto verdejante".
Mas, como é notório em nosso meio, Deus jamais despede sua Igreja vazia e portanto teve misericórdia de todos nós, inclusive daquele Seu servo.
Naquele dia tivemos de ser como laboriosos garimpeiros, e ficar atentos aos nossos batéis para finalmente obter a nossa pedrinha preciosa. Mas o Senhor nos concedeu vitória.
Como resultado, pude perceber que o próprio irmão que o convidou - e que já era prudente - estendeu em muito essa prudência e nunca mais fez essa espécie de convite a ninguém.
Já se vão muitos anos do sucedido.

A título de melhor esclarecimento, o tal irmão convidado era um dos que o Senhor se usa com grande virtude até mesmo em busca de dons.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Ter Jul 03, 2012 6:41 am

A Paz de DEUS esteja sempre em nossos corações.

Também tenho minhas experiências, louvado seja DEUS.
Só que com Irmãos nem de longe "revestidos."

Experiências de correções, de repreensões, embora muito espirituais e mansas.

Marcaram-me muito duas:

1) o SENHOR, por sua bendita Palavra, usando um Irmão caseiro de uma chácara, que eu nunca tinha visto na minha vida, me repreendeu, me ensinou, me corrigiu;

2) o SENHOR, por sua bendita Palavra, usando um Irmão muito simples, Cooperador em um bairro da periferia de uma grande cidade, me livrou miraculosamente da morte espiritual.
E esse Irmão era muito criticado por mim (em meu íntimo, eu não passava a minha fraqueza para ninguém) porque ele falava muito baixo (naquele tempo não havia microfones).
Ele falava baixo em meus ouvidos. O SENHOR falou alto no meu coração.

Para mim, o Irmão pregador é transparente.
Enxergo através dele o SENHOR DEUS falando com a minha alma.

DEUS nos abençoe a todos.
Luiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Valder em Ter Jul 03, 2012 12:55 pm

Concordo que deve haver sim, prudência e entendo tudo o que o irmão escreveu sobre pregação em tom elevado e sobre os problemas da ultrapassagem frequente do horário do culto. Já tenho alguns anos de batizado e já pude observar tudo isso que o irmão colocou.

Primeiro, re-afirmo que suas colocações, pra mim não se trata de modernismo, porque já presenciei no passado. Pra mim nada disso é novidade, nem mesmo o copo d’água. Esqueci apenas de observar, que devido a diferenças regionais que há na nossa igreja, pode ser que para alguém seja novidade.

Deus sabe de todas as coisas, conhece quem prega e quem ouve. Abstenho-me de julgar, cultos barulhentos, ou pregadores que exageram no tom da voz ao pregar, pois já vi o suficiente nesta Obra, para saber que Deus não pede licença para operar.

Opinião pessoal: não gosto de cultos prolongados e nem de pregações gritadas.

Beber água

Prezado irmão, o orador bebe água, para molhar as cordas vocais e se hidratar. É isso que quero dizer que não tem relação com a idade, se é velho ou moço, pois dependerá do esforço que ele fará ao pregar ou discursar. Quando falo características, quero dizer que um orador pode falar por horas sem precisar molhar a garganta, como Rui Barbosa (3 ou 4 horas), sem sentir necessidade de beber água.

Perceba a diferença, o velho pode precisar ingerir água devido à idade, doenças, etc, mas durante o culto, não é comum ver um velhinho falando sem parar, gesticulando, movendo-se. Geralmente estão quietinhos ouvindo, alguns até cochilam... mas respeito a opinião do irmão.

Evidentemente, um pregador que pegue durante poucos minutos não deverá precisar de beber água.

Valder

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Valder em Ter Jul 03, 2012 12:59 pm

Irmão Sérgio,

Sobre a frase:

Como assim, "todas as colocações a respeito do copo d’água não se sustentam"?
Desculpe, pois era para ter escrito: colocações contrárias ao uso do copo d’água, o que exclui as minhas opiniões.

Sobre a igualdade entre irmão de banco e ministério, expliquei que a igualdade existe sim, com relação à salvação, pois cremos no sacerdócio universal dos crentes e ninguém questiona que o cristão tem o mesmo valor diante de Deus. Coloquei também que a diferença é com relação ao cargo, ou missão na Obra, como o irmão colocou. Sem fugir do tema, não vejo nenhuma lei de igualdade impedindo o ministro de molhar sua garganta, se assim o desejar.

Sobre irmãos que anunciam visitas, prefiro acreditar que todos eles possuem bons propósitos. Estamos num fórum comprometido com a edificação dos leitores e é preferível não lançar semelhante dúvida na mente de ninguém.

Para cada exemplo negativo que o irmão relatar, temos muitos positivos e permanece a variedade de opiniões.

Nesta semana, meu filho procurou saber onde estaria um irmão “revestido” . Um cooperador de jovens que trabalha com ele, comunicou-lhe onde estaria o tal irmão e ele foi direto do seu emprego para lá. Igreja cheia, Deus selou diversos com a promessa, inclusive meu filho, que tem 1 ano de batizado e que chegou em casa chorando de alegria.

Esta obra é um mistério. Cabe aos anciães corrigirem os excessos e a nós glorificar a Deus, pois o Senhor opera onde menos esperamos.

Deus abençoe pelas respostas, também estou aprendendo.

Valder

Mensagens : 23
Data de inscrição : 03/08/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  MEIRA COURI em Ter Jul 03, 2012 1:21 pm

AMADOS...

NA TRIBUNA DA MINHA COMUM, TEM UM COPO DESSES AI...

MAS NOSSO COOPERADOR NÃO FAZ USO DELE.(NUNCA)

DIA DESSE UM IRMÃO DE OUTRA REGIONAL ESTEVE ATENDENDO.....A CADA 10 MINUTOS ELE TOMAVA UM GOLE....
TIROU TODA A COMUNHÃO DA IGREJA!!! NOSSO ANCIÃO BEBE NO MOMENTO DOS TESTEMUNHOS, E SÓ, E OLHA QUE ELE É BEM VELHINHO

DEUS ABENÇOE

MEIRA COURI

Mensagens : 80
Data de inscrição : 16/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Ter Jul 03, 2012 10:08 pm

Pois até mesmo por aqui já chegou ao nosso conhecimento que o tal copo com água em determinados lugares já é do tipo "mineral", e de uma determinada marca. Já existe portanto o pregador do tipo "gourmant"...
( brincadeira, só para descontrair. rsrs )
É assim que as coisas começam, e terminam dando o que falar: Primeiro vem um copinho de água inocente e ingênuo, depois muitos copos de água, depois é água mineral, depois essa água mineral passa a ter marca preferida, e se deixar correr frouxo, daqui a pouco tem gente tomando gasosas, refrigerantes, e sabe-se lá o que mais.
Certas atitudes isoladamente não apresentam mal algum. Porém depois de certo tempo encontram adeptos e viram modismo, o que certamente não nos convém como povo de Deus.
Por seu lado, o diabo não se apresenta diante de nós assim de chifre, tridente, barbicha e rescendendo a enxofre. Ele é sutil que só vendo, e se traja com o tecido da falsa inocẽncia, da fala mansa e dos gestos suaves, do convite generoso, do incentivo oportuno, e tem para nós o tapinha nas costas e o mais simpático dos sorrisos...
Não vamos condenar nossos irmãos que sentiram vontade de beber água e para isso contaram com a gentileza dos irmãos porteiros que com todo o amor os tem servido. Mas que essa crítica possa fazer efeito em nós mesmos e naqueles que são nossos amigos mais próximos para que não venham finalmente a errar.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Qua Jul 04, 2012 7:04 am

A Paz de DEUS seja em nossos corações, e de nossas famílias.

Pois é.
As diversas opiniões dos Irmãos me ajudaram muito. Demais.
DEUS os abençoe.
Pensei muito em tudo o que foi escrito.
Antes, eu estava muito "revoltado" com tal do copo dágua e sofria muito.

Agora, depois dos posts dos Irmãos, cheguei a uma posição menos sofrida.
DEUS abençoe os Irmãos.

Continuo sem conseguir engolir o copo dágua (nem com um copo dágua), mas pelo menos já não estou tão "revoltado". Estou mais equilibrado um pouco no meu modo de pensar.
(O equilíbrio de um Irmão aqui me fez adquirir algum equilíbrio).

Se os Irmãos quiserem continuar me ajudando, só falta continuar tratando dos outros assuntos que citei quando criei o tópico (minha primeira mensagem).

Esse tópico valeu pra mim como uma consulta psicológica.

DEUS nos abençoe a todos.
Luiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Sergio Teixeira em Qua Jul 04, 2012 9:10 am

O Senhor Jesus - o Cristo - é o Médico sobre os médicos, Psicólogo sobre os psicólogos, Psiquiatra sobre os psiquiatras, Advogado sob os advogados, Juiz sobre os juízes.
Ele é o nosso intercessor e o nosso orientador, e em Seus ensinamentos encontramos tudo aquilo que nos é necessário.
Que Deus nos abençoe a todos.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Modernismos na Congregação Cristã no Brasil

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum