"Quod scripsi, scripsi"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

"Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Ter Mar 27, 2012 8:57 pm







Poder é poder, e por achar tê-lo, Pilatos espancou Jesus.

Os soldados usaram de truculência, contra um cordeiro inocente.

Não havia culpa, não havia a menor culpa, um resquício qualquer, para que Jesus fosse acusado.

Claro, esquecemos da blasfêmia, acusaram Jesus de blasfêmia, embora Pilatos tenha afirmado, não conseguir enxergar culpa no cordeiro, simplesmente como um tirano doido, queria ostentar sua posição de poderoso.

" Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho nele." João 19:6

Essa foi a ordenação do doido, enquanto Deus olhava dos céus, matendo-se imparcial, conforme combinado com o Filho, que naquele momento sofria com as acusações. Pilatos ouviu dos judeus a maior das blasfêmias, embora não manifestasse, qualquer fragmento de misericórdia:

"Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou. " João 19:7 e 8

Que lei é essa? Que babaquice é essa? Pilatos compreendeu patavina.

Voltou para falar com o cordeiro, como se dissesse consigo, “com todo o poder nas mãos, pareço o único não saber o que está acontecendo”, entrou novamente para audiência, com aquela arrogância típica dos mortais:


" De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? “ João 19:10

Certamente Jesus pensou, “não é bem assim amigo”, porém disse:

Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem. “ Lucas 19:11

Pilatos entrou em colapso, “o que está me dizendo cordeiro? Como assim não tenho poder?”, colérico, o tom de voz demonstrava medo, enquanto Deus olhava dos céus, com os olhos marejados, “Força meu Filho!”.

Com a consciência cauterizada, o “nobre” Pilatos, não tinha a menor condição, de decifrar o mistério sobre o cordeiro que estava a sua frente. Cara cara com a verdade, com privilégio de ter uma audiência íntima com o Mestre, Pilatos achou ele ser o centro do universo, sem saber que estava condenando o dono dele.

Diria um apóstolo sobre a sabedoria, desconhecida por esses homens:

Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, [/b]nunca crucificariam ao Senhor da glória.[/b] “ 1 Cor. 2:7 e 8

Meio desconcertado com aquela situação, na verdade inteiramente perdido, teve vontade soltar Jesus, entretanto, havia um César no meio do caminho, que poderia interferir nos seus poderes, resolveu então por conta condenar o cordeiro inocente.

Daí em diante Pilatos procurou libertar Jesus, mas os judeus gritavam: Se deixares esse homem livre, não és amigo de César. Quem se diz rei opõe-se a César “ João 19:12

Situação desconcertante, o que leva alguém, preferir ser amigo de César, desprezando ser amigo de Deus.

Definição do perfil de Pilatos, e outros semelhantes: ” Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus...” 2 Tim. 3:4

Disse o tirano aos judeus:

Eis aqui o vosso Rei. “ João 19:14

A multidão enlouqueceu, incentivada por um diabo invisível, que assistia todo aquele evento histórico. Curiosamente não sabemos se o diabo, tinha conhecimento futuro da sua queda, ou se ele mesmo se achava no direito, de duvidar que o cordeiro após a crucificação, tivesse capacidade de retornar da morte.


Pilatos ouvia a voz do diabo em coro:

...crucifica-o. “ João 19:15

O mundo estremeceu...

O diabo deu uma gargalhada...

Pilatos observava as reações de Jesus, perguntava-se a si mesmo, "qual seria o mistério daquele homem, que estava prestes a ser crucificado", enquanto isso, sem que ninguém suspeitasse. um anjo do céu fortalecia Jesus.

Jesus é entregue para ser crucificado, o Rei que um dia adentrou Jerusalém, assentado sobre um jumentinho, cujo povo gritava, “Hosana! Bendito o Rei de Israel que vem em nome do Senhor”, estava sendo entregue para morrer.


E tomaram a Jesus, e o levaram. E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota, Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. “ João 19:17 e 18

O mundo sobre as costas de um homem...

O peso do pecado...

O céu estava em silêncio...

Pilatos escolheu um título, escrito em três idiomas, para por em cima da cruz:

“...JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. “ João 19:19


Os príncipes desconhecendo a sabedoria do alto, que pertence ao Reino da glória, preferiram se alistar no exército do império da morte. Não se conformando alguns dos principais, com o que havia escrito Pilatos, pediram que ele alterasse o contexto:

Não escrevas, O Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou o Rei dos Judeus. “ João 19:21

Um Pilatos indiferente pronunciou:


“ O que escrevi, escrevi. “ João 9:22



A alteração do contexto, não iria justificar o ato insano, Pilatos escreveu por não ter nada a fazer, por não se importar com qualquer que fosse o motivo, afinal, ele tinha o poder, os judeus que se conformassem com isso, foram deles a ideia de crucificar o tal cordeiro, no seu interior ele dizia,”tenho coisas mais importantes a fazer”.

Quod scripsi, scripsi , em latim, “o que escrevi, escrevi”, essas foram as palavras de Pilatos, "certamente o pecado de vocês é maior", pensava ele. Os judeus comemoraram a trágica vitória, enquanto José de Arimatéia, pedia a Pilatos o corpo de Jesus, ao que num ato de bondade, ou desprezo, ninguém o sabe, teve o seu consentimento.

O corpo de Jesus foi retirado da cruz, extremamente ferido, porém sem quebraduras, José tomou todo o cuidado, para que os insanos não o vissem, junto dele estava Nicodemus, os anjos também estavam presente no auxílio. O rosto de Jesus estava sereno, confirmando o que disse Isaías:

" Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. " Isaías 53:7


Tanto José quanto Nicodemus pensavam, enquanto preparavam o corpo, envolvendo em lençóis com as especiarias, o que ocorreria quando daqui a três dias, quando Jesus ressurgisse, qual seria a reação dos loucos que o crucificaram, e principalmente, o que diria Pilatos, se ele teria coragem de repetir, "quod scripsi, scripsi".

Aquilo que escreve o homem, somente não se apaga, somente tem validade, se for conforme as palavras de Deus, vide tudo o que está escrito, para nossa salvação, através de profetas e apóstolos.

"Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. " Romanos 15.4

Os dois valentes homens, colocaram o corpo de Jesus num horto, próximo ao local da crucificação, o local era novo, especialmente adquirido para colocar o corpo, do homem que veio desfazer o corpo do pecado.

Três dias depois, o império de morte, foi totalmente aniquilado, e o diabo engoliu a seco a sua derrota. (Hebreus 2:14 e 15)

Pilatos não estava presente, quanto Deus derramou do seu Espírito, justo ele que teve uma entrevista exclusiva com o Salvador. Teve poder para escrever, mas, nenhuma capacidade para reconhecer, que sua glória não era permanente, aquele que estava junto dele, esse sim, sempre esteve com ele a glória da eternidade.

" Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. " 1 Pedro 1: 24 e 25



Eldier

Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  MEIRA COURI em Qua Mar 28, 2012 7:56 am

IRMÃO ELDIER, FIQUE MEIO CONFUSO, COM ESSE AUXILIO QUE JESUS RECEBEU DO ANJO.

PODE SER QUE INTEPRETEI MAL, MAS DA UMA LUZ AQUI DEUS ABENÇOE, EM CRISTO


Pilatos observava as reações de Jesus, perguntava-se a si mesmo, "qual seria o mistério daquele homem, que estava prestes a ser crucificado", enquanto isso, sem que ninguém suspeitasse. um anjo do céu fortalecia Jesus


MEIRA COURI

Mensagens : 80
Data de inscrição : 16/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Sergio Teixeira em Qua Mar 28, 2012 10:17 am

Noto que paira no meio do povo cristão - em geral - um total desconhecimento da história política desde aqueles tempos até os tempos atuais.
E em muitos pontos, nota-se uma desnecessária preocupação da "religião" em combater e até contradizer a "ciência" como se esta devesse abandonar suas verdades e submeter-se ao sabor dos dogmas religiosos.
(Nicolau Copérnico foi perdoado por suas "blasfêmias" apenas no século passado)...

As pessoas não se preocupam em conhecer o mínimo necessário da História, da Política e de outros assuntos importantes para todos nós, achando que tudo isso é "supérfluo".
É supérfluo sim, mas apenas na medida em que não cometamos erros grosseiros ao nos referirmos aos mesmos ou formar opiniões a respeito.
Se bem que uma certa ingenuidade seja benéfica entre nós, o desconhecimento proposital e inconsequente, por sua vez, é notadamente maléfico.

A função de Pilatos naquele momento foi de uma precisão cirúrgica, em um momento em que ele não poderia se envolver em conflitos que pudessem gerar movimentos contrários ao domínio de Roma. Ele era, embora um tanto modestamente, representante de Cesar naquela localidade, e como tal tinha de ser zeloso das coisas pertinentes ao estabelecimento pacífico do império naquela região.

Ele não era judeu, para pensar como judeu. Era romano, e pensava como romano. Seguia leis, costumes, e práticas próprias de Roma.

Assim, açoitar um prisioneiro era prática comum, esperando-se dessa forma obter alguma confissão.
Portanto, qualquer prisioneiro que caísse nas mãos de alguém (fosse Pilatos ou os próprios sacerdotes judaicos), primeiro apanhava para depois dizer alguma coisa que lhe fosse perguntada.
Claro que essa prática é totalmente condenável, mas era assim que a coisa funcionava.

Depois, o cidadão Jesus foi acusado de vários crimes contra Roma, inclusive de sedição, ao alegadamente "incitar as pessoas a não pagarem tributos".
Ao interrogar o acusado, Pilatos percebeu claramente que ele não havia cometido crime algum contra Roma. Em função disso, ele poderia perfeitamente ter liberado o acusado.
Acontece que os instigadores continuavam a acusar Jesus, já aí declarando que ele alegava ser "o rei dos judeus".
Porém esse assunto não poderia ser julgado por Roma, por tratar-se de coisa pertinente exclusivamente ao povo judeu, onde o Império tinha a prudência de não colocar a mão (na cultura, na religião, nos hábitos e costumes *).
Diante do pretenso "clamor popular", Pilatos fez publicamente um ato (lavando as mãos) onde isentou a si e a Cesar de toda e qualquer responsabilidade pelo que iria acontecer com o acusado, daí em diante, tendo "Cesar" julgado pela sua não-culpabilidade no tocante às acusações que lhe eram impingidas.
Pilatos publicamente inocentou a Jesus de qualquer crime contra Roma.
Porém o ato popular tomou rumos que ele não esperava, com a turba reclamando que Jesus deveria ser crucificado. Então, ainda como um gesto de "boa vontade política para com o povo judeu" ele cedeu o local, a cruz e os soldados necessários para a execução.
João 19:22
12 Desde então Pilatos procurava soltá-lo; mas os judeus clamavam, dizendo: Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra César.

Entendamos mais uma coisa: "César" não é um nome próprio, mas sim um título honorífico, que equivale hoje em dia ao de "Czar" ou "Kaiser", ou seja, "aquele que tem o mando, o domínio".
TODOS os imperadores romanos eram chamados de Cesar, e tinham também outro título honorífico, o de "Augusto", que significa "grande". Naquela época, o "Cesar" se chamava Tibério...

A propósito, Pilatos não poderia cometer qualquer deslise que viesse a comprometer a boa fama do Império ou colocar em dúvida a Justiça de Casar. Por isso agiu daquela forma.
Para nós pode parecer injusto, mas diante da cultura e da lei romanas ele agiu corretamente.
Depois disso porém ele andou se aproximando de Herodes, mas aí já é outra estória.

Pilatos não exorbitou do poder. Se o tivesse feito, teria cometido crime contra Cesar, e pela lei romana deveria "ser sacrificado à deusa Ceres".
É evidente que seus inimigos políticos não teriam deixado passar uma oportunidade dessas para derrubá-lo.

Quanto ao escrito, a Bíblia relata que ele mandou escrever em todas as linguas conhecidas os dizeres:
"Jesus Nazareno, Rei dos Judeus".
Em algumas Bíblias porém, constam apenas o Latim, o Grego e o Hebraico.
De qualquer forma, isso invalida aquela imagem de um cartaz apenas com as letras INRI que nos chega ao conhecimento através da tradição católica e que significaria "Iesus Nazarenus Rex Iudeorum" (mas que os gnosticistas interpretam como "Ignea Natura Renovatur Integra").

---------

* - Eram três as principais exigências do Império Romano sobre os povos conquistados que eles:
1- Pagassem impostos a Roma;
2- (Os homens) prestassem serviço militar;
3- Falassem latim.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Qua Mar 28, 2012 11:09 am

Pilatos publicamente inocentou a Jesus de qualquer crime contra Roma.
Porém o ato popular tomou rumos que ele não esperava, com a turba reclamando que Jesus deveria ser crucificado. Então, ainda como um gesto de "boa vontade política para com o povo judeu" ele cedeu o local, a cruz e os soldados necessários para a execução.



O Google é um ótimo auxílio, certamente, assim como é o Espírito, cada utilize aquele que desejar, ou tiver acesso.

Pilatos certamente inocentou Jesus de qualquer crime, a recíproca porém:

"...mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem." João 19:11

Opiniões pomposas, sem ao menos, descrever referências, demonstram falta de raciocínio próprio, que fazer.

A propósito, Pilatos não poderia cometer qualquer deslise que viesse a comprometer a boa fama do Império ou colocar em dúvida a Justiça de Casar. Por isso agiu daquela forma.
Para nós pode parecer injusto, mas diante da cultura e da lei romanas ele agiu corretamente.
Depois disso porém ele andou se aproximando de Herodes, mas aí já é outra estória.

Ele não agiu daquela forma, simplesmente para manter a boa fama do império, a sabedoria humana, mal aplicada por alguns, sugere que a Bíblia é tão somente um livro comum.

Ele agiu corretamente, e Jesus mesmo declarou o motivo:

" Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem. " João 19:10 a 11

Alguns não tendo a operação eficaz do Espírito, diminuem a glória de Deus, em benefício da história que bem utilizada, sempre será de grande valia.

A função de Pilatos naquele momento foi de uma precisão cirúrgica, em um momento em que ele não poderia se envolver em conflitos que pudessem gerar movimentos contrários ao domínio de Roma. Ele era, embora um tanto modestamente, representante de Cesar naquela localidade, e como tal tinha de ser zeloso das coisas pertinentes ao estabelecimento pacífico do império naquela região.

A precisão cirúrgica foi executada antes da fundação do mundo, Jesus estava ciente da função de Pilatos, do que representava estar diante dele, ao contrário não podemos dizer o mesmo.

Quanto ao escrito, a Bíblia relata que ele mandou escrever em todas as linguas conhecidas os dizeres:
"Jesus Nazareno, Rei dos Judeus".
Em algumas Bíblias porém, constam apenas o Latim, o Grego e o Hebraico.
De qualquer forma, isso invalida aquela imagem de um cartaz apenas com as letras INRI que nos chega ao conhecimento através da tradição católica e que significaria "Iesus Nazarenus Rex Iudeorum" (mas que os gnosticistas interpretam como "Ignea Natura Renovatur Integra").

Tal como o povo judeu, religiosos tendem a evidenciar, aquilo que não é relevante, o que Pilatos certamente compreendeu, para ele não tinha a menor importância aquele homem a sua frente:

"QUOD SCRIPSI, SCRIPSI"

"Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas, O Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou o Rei dos Judeus." João 19:21

Esse foi o motivo principal da crucificação, a afirmação de ser Filho de Deus, que incomodou a tantos, e que na verdade, era ela mesma.

O Google realmente é muito importante...



[/justify]


Última edição por Cris@Vasconcelos em Qua Mar 28, 2012 11:29 am, editado 2 vez(es)

Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Qua Mar 28, 2012 11:26 am

MEIRA COURI escreveu:IRMÃO ELDIER, FIQUE MEIO CONFUSO, COM ESSE AUXILIO QUE JESUS RECEBEU DO ANJO.

PODE SER QUE INTEPRETEI MAL, MAS DA UMA LUZ AQUI DEUS ABENÇOE, EM CRISTO


Pilatos observava as reações de Jesus, perguntava-se a si mesmo, "qual seria o mistério daquele homem, que estava prestes a ser crucificado", enquanto isso, sem que ninguém suspeitasse. um anjo do céu fortalecia Jesus


Ir. Couri, Como vai?

Perdoe-me o acréscimo, creio plenamente que os anjos, estivessem ao redor de Jesus, embora não ficou registrado, ao menos nessa parte, porém, em outros lugares encontramos passagens que testificam esse auxílio.

Quando os pastores tiveram ciência do nascimento do Salvador:

"E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens. " Lucas 2:9 a 14

Na tentação no deserto:

"Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam. " Mateus 4:11

Quando Jesus orava no Monte das Oliveiras:

"E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. " Lucas 22:39 a 44

E quando disse a Pedro quando este feriu um soldado, que se ele quisesse, os anjos estavam a sua disposição:

" Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão. Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de [i]doze legiões de anjos?" Mateus 26:52 a 53

Certamente que o céu acompanhava todo esse evento, afinal, por ele seria redimida toda a humanidade.

Deus esteja contigo irmão.

Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Qua Mar 28, 2012 3:28 pm

A Paz de DEUS seja em nossos corações e de nossas famílias, sempre.

Tenho para mim que a Bíblia contém toda verdade espiritual e todas as respostas para todas as dúvidas espirituais.
Não procuro explicações para as coisas de DEUS fora da Bíblia.

Mas para as partes não espirituais, é muito bom a cultura, não importa qual meio sério se use para se obtê-la.
Pode ser enciclopédias, livros, e, o bacanérrimo Google.

Aprendi muito com a explicação do Irmão Sergio Teixeira.
DEUS o abençoe.

DEUS nos abençoe a todos.
Luiz Flavio.

Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Qua Mar 28, 2012 6:24 pm

Luiz Flavio N. Facci escreveu:

Mas para as partes não espirituais, é muito bom a cultura, não importa qual meio sério se use para se obtê-la.
Pode ser enciclopédias, livros, e, o bacanérrimo Google.


Não entendo o que está acontecendo, coloquei um texto exaltando o sofrimento do Cristo, a divulgação de todo o mistério previsto desde a fundação do mundo, e dois irmãos velhos na "graça", ficam com essa conversinha de doméstico da fé, sobre história e cultura, achando tudo "bacanérrimo".

Em qual momento contestei a história, a ciência, parece que anos de religião realmente, não servem para nada, cauterizam o cérebro não permitindo novos prazeres, preferindo a contestação sem nexo, um absurdo.

É uma pena que distorceram o texto, preferindo esclarecimentos superficiais, que um alega ser ainda maior do que a própria Escritura, como se aprovassem a atitude de Pilatos, e pensar que tudo que procede do púlpito, inclusive as besteiras, eles levam em consideração.

Tenho para mim que a Bíblia contém toda verdade espiritual e todas as respostas para todas as dúvidas espirituais.
Não procuro explicações para as coisas de DEUS fora da Bíblia.

Mas para as partes não espirituais, é muito bom a cultura, não importa qual meio sério se use para se obtê-la.
Pode ser enciclopédias, livros, e, o bacanérrimo Google.

Se alguém queria uma demonstração, do que é chover no molhado, aqui está um perfeito exemplo, do que é ficar em cima do muro.

O texto do diálogo entre Jesus e Pilatos, é para um olhar justo, que estes dois irmãos, preferiram relevar considerando somente o lado empírico, a reflexão do evento em si que salvaram suas vidas, lamentável.

Fiquei realmente impressionado com essas atitudes, principalmente por que um contestou um texto, que apenas exaltava Jesus Cristo, e o outro aprendeu com a contestação, que nada tinha haver com o objetivo, parcialidade.

Graças ao bom Deus que que tudo está consumado, para aqueles que conseguiram enxergar, o que Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Josué, Sansão, Samuel, Davi, Elias, Eliseu, profetas, apóstolos, e todos os demais justos enxergaram, não que desconsiderassem a história, mas porque sabiam que eles seriam os próprios escritores dela, que levariam a mensagem que estava oculta desde a fundação do mundo.

"Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. " Hebreus 11:13

Profetas não deixaram a mensagem, para recorrer a história, apesar de nunca se colocarem contra ela, e essa mensagem avançou até os apóstolos:

"Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar. " 1 Pedro 1:10 a 12

Então estes dois irmãos, preferiram em nome da história, esclarecer fatos que neste momento, nada tinha haver com o contexto, basta que leiam o texto, que nada mais é do que um comentário singular, sem intenção alguma de ferir alguém.

O fato é que Jesus foi crucificado, teve muita sede, até que seu corpo não suportando, entregou seu espírito a Deus, mudando todo o rumo da história, confirmando tudo o que por Deus estava traçado, sem que a história produzida pelos homens em algum momento, tivesse tido capacidade de descobrir.

Como desabafou Paulo um dia, não que eu tenha esse direito, ou que possa ser semelhante a este homem:

"Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios; Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para convosco me foi dada; Como me foi este mistério manifestado pela revelação, como antes um pouco vos escrevi; Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo, O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas... " Efésios 3:1 a 5

Então esclareço aqui, que o real motivo do tópico, foi exatamente sobre esse mistério, cujo apóstolo tinha compreensão, para verificarmos até que nível nós estamos conseguindo compreender, visto que agora pelo Espírito Santo, nós temos essa concessão da parte de Deus.

O tópico não contesta a história, não existe qualquer menção sobre isso.

Infelizmente, para alguns o "quebra-cabeça" continua incompleto, devido os comentários supérfluos que se seguiram, demonstrando uma irritabilidade sem motivo, como se eu estivesse escrito uma grande besteira. E talvez seja esse mesmo o motivo da desconsideração, o texto ser escrito pela minha pessoa, que dois irmãos com anos de "graça", tiveram por atitude desconsiderar, toda a beleza das palavras de João (capítulo 19), poderiam eles descartarem meu comentário, mesmo assim o texto em si, não merecia tamanho descrédito, em benefício e incentivo ao vento, que um dos irmãos alegou ter sido uma grande explicação.

Enfim...

Deus esteja com todos.

Eldier.



Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Sergio Teixeira em Qua Mar 28, 2012 8:50 pm

Então estes dois irmãos, preferiram em nome da história, esclarecer fatos que neste momento, nada tinha haver com o contexto, basta que leiam o texto, que nada mais é do que um comentário singular, sem intenção alguma de ferir alguém.
Irmão Eldier, por favor, contenha-se.
O irmão não haveria de pretender fazer uma montagem fantasiosa de uma passagem biblica tão bem conhecida de todos, de forma tão recheada de "pressuposições poéticas" e achar que poderia passar despercebida.
Acho que estamos aqui para nos edificarmos, e não para apreciar dotes poéticos uns dos outros.
O irmão distorceu totalmente, e a seu bel-prazer, o texto bíblico, alterando indevidamente o seu sentido e o seu verdadeiro contexto.
( Ah, que falta faz o irmão Jahyr numa hora dessas! )
Saiba amado irmão, que sou - assim como a maioria de nós - anterior ao Google.
Antes de existir Google, Wikipedia e outros fenômenos modernos, já existiam os velhos e bons livros, e velhos e bons professores, e velhas e boas escolas.
E que algum conteúdo porventura existente na internet ali está exatamente através da informação de pessoas como nós, que nos dispomos a esclarecer as coisas.
Creio que muito poucas pessoas por aqui - ou até mesmo nenhuma - tem a sua cultura baseada exclusivamente no Google.
O irmão me perdoe, mas não pude distinguir contexto algum em sua apaixonada narrativa.
Em momento algum nenhum de nós pretendeu "diminuir a glória de Deus" como o irmão alega.
Mas o fato de discordarmos das colocações que o irmão pretende nos impor, não significa de forma alguma que estejamos contra o irmão ou que estejamos - nas palavras que o povo costuma usar quando é contrariado por algum motivo - "botando a mão na obra de Deus".
Minha intervenção foi para que os debatedores saibam do que verdadeiramente ocorreu.
Se tinha anjos ou não (o texto bíblico não os menciona ali), minha intervenção não foi para "removê-los" ou negar - ou mesmo confirmar - sua presença, mas para explicar o porquê da atitude de Pilatos, que o irmão resolveu por conta própria rotular como "louco".
Note bem: O irmão se fechou em uma redoma cheia de "razão" e acha que nós o estamos atacando. Não é nada disso.
Porém, amado irmão, voltemos para a Comunhão com o Espírito Santo, que é quem nos esclarece ao nos lembrar dos Ensinamentos de nosso Mestre e das promessas do Pai Eterno.
Tenhamos todos o cuidado de zelar para que a Palavra continue tão intacta quanto possível. Se alguém já a tiver alterado de alguma forma, que não tenhamos sido nós.
Se o irmão se houver ofendido, seja em função de minhas palavras anteriores, seja por estas, queira perdoar a minha falta de entendimento, e seja partícipe da Santa Ceia com toda a dignidade e na Paz que nos concede o Cristo.

Que Deus nos abençoe a todos e nos preserve do mal e do engano.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Luiz Flavio N. Facci em Qui Mar 29, 2012 7:05 am

Cris@Vasconcelos escreveu:
Luiz Flavio N. Facci escreveu:Mas para as partes não espirituais, é muito bom a cultura, não importa qual meio sério se use para se obtê-la.Pode ser enciclopédias, livros, e, o bacanérrimo Google.

Não entendo o que está acontecendo, coloquei um texto exaltando o sofrimento do Cristo, a divulgação de todo o mistério previsto desde a fundação do mundo, e dois irmãos velhos na "graça", ficam com essa conversinha de doméstico da fé, sobre história e cultura, achando tudo "bacanérrimo".
A Paz de DEUS esteja em nossos corações.
Não pude evitar um riso com essa bronca que o querido Irmão em JESUS CRISTO deu em mim e no Irmão Sergio.
Mas acho que tomamos essa bronca de graça.

O Irmão Sergio, porque o que ele fez foi mostrar e ensinar algumas coisas realmente interessantes.
Se contrariou em alguma parte seu ponto de vista, o que temos de fazer é conversar aqui, levar a conversa adiante, para eu aprender mais, de você e dele. Não é simplesmente você dar uma bronca e fim de papo.
O diálogo, mesmo virtual como acontece aqui, é muito importante.

Quanto a mim, só ousei dar uma opiniãozinha, um achisminho meu, como sempre faço.
Não ousei contestar, pelo menos diretamente, nada do que você expôs.

Entretanto, já que tomei a bronca mesmo, então vou contestar uma coisa que você escreveu, e com a qual não concordo. Claro que o errado pode ser que seja eu, mas vou falar, tá?

Cris@Vasconcelos escreveu:O mundo estremeceu...O diabo deu uma gargalhada...
Será? Talvez sim, talvez não. Talvez ele tenha estremecido mais do que todos.

Porque as coisas estavam se encaminhando para o cumprimento da vontade de DEUS, que Seu FILHO seria sacrificado em prol da salvação de toda a humanidade.
Que eu saiba, por três vezes pelo menos, ele tentou impedir que isso acontecesse.
Uma, quando ele usou Pedro e JESUS lhe respondeu: "Para trás de mim, Satanás ...".
As outras que sei, ou melhor, que acho ... não vou citar, porque estou com pressa.
É só ler a Bíblia.

Irmão Eldier escreveu: É uma pena que distorceram o texto, preferindo esclarecimentos superficiais, que um alega ser ainda maior do que a própria Escritura, como se aprovassem a atitude de Pilatos, e pensar que tudo que procede do púlpito, inclusive as besteiras, eles levam em consideração.
Passou-me a impressão que o caro Irmão tem qualquer coisa contra a Palavra que DEUS revela na Igreja e que é pregada no púlpito.

..................................................

Êh, Irmão Eldier, quando alguém acrescenta alguma coisa ao que a gente escreve, não quer dizer que esse alguém está contestando o que foi escrito. É um acréscimo, é mais uma informação para nos aperfeiçoarmos em nossos conhecimentos.
E, mesmo que venha a haver uma contestação, essa é para nós analisarmos, para discutirmos, para a nossa própria aprimoração.
Caaaaaalma!
O que você escreveu é bacana, sim. Mas não quer dizer que todos tenhamos de concordar [u]em tudo[/b] com você.
E, nas nossas contestações, pode ser que estejamos errados, mas também pode ser que estejamos certos, não é verdade?

Peço a DEUS que continue te abençoando, te dando força e coragem para expor suas mensagens. Podes crer que aprendemos muito com elas.

DEUS nos abençoe.
Luiz Flavio.




Luiz Flavio N. Facci

Mensagens : 551
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  BadMix em Qui Mar 29, 2012 7:25 am

Algo que há pouco tempo atrás me apercebi: O quão insondáveis e perfeitos são os caminhos de Deus.

Certamente o povo Judeu, quando se viu sob o Jugo Romano pelas terras da Palestina, clamou misericórdia a Deus e questionou até quando estaria sob domínio de um povo invasor/opressor.
Mas se meditarmos bem nas escrituras, percebemos que a morte de Jesus só poderia ter ocorrido naquele tempo, daquele jeito, sob domínio Romano.

De origem Persa, a crucificação era o modo escolhido para execuções públicas (marcar posição) por parte das autoridades Romanas.
Se fosse apedrejado (punição devida a quem, como Jesus, ousasse dizer ser Deus), não se cumpriria a escritura que prediz a forma de morrer, pendurado numa árvore (Deut 21:22,23) pés e mãos perfurados (Salmos 22:16), etc.

As autoridades Romanas foram, como bem disse Jesus, um instrumento nas mãos do nosso Poderoso Deus para que toda a Sua vontade (alguma já anteriormente profetizada) fosse cumprida.

Assim me contento em Deus, até nos dias da minha tristeza, porque sei que tudo está previsto pelo Altíssimo e no fim o Seu nome será por todos os seus glorificado. Amém

Deus nos abençoe,
Vitor

BadMix

Mensagens : 141
Data de inscrição : 03/02/2012
Localização : Portugal

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Sergio Teixeira em Qui Mar 29, 2012 10:15 am

As autoridades Romanas foram, como bem disse Jesus, um instrumento nas mãos do nosso Poderoso Deus para que toda a Sua vontade (alguma já anteriormente profetizada) fosse cumprida.
Até mesmo os babilônios foram instrumento nas mãos de Deus, que chegou a referir-se ao "meu servo Nabucodonosor".
E se estendermos um pouco mais a nossa compreensão, veremos que até mesmo Judas foi um instrumento, uma ferramenta necessária para uma obra superior ao nosso próprio entendimento.
Também o coração de Faraó foi endurecido - e não embrandecido - para que Deus tomasse um caminho em favor de seu povo.
Portanto, os pensamentos de Deus são sempre maiores que os nossos, e Ele toma caminhos que sempre nos surpreendem.
Glória ao nosso Deus, cuja benignidade permanece para sempre.
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Qui Mar 29, 2012 12:01 pm

Sergio Teixeira escreveu:
O irmão não haveria de pretender fazer uma montagem fantasiosa de uma passagem biblica tão bem conhecida de todos, de forma tão recheada de "pressuposições poéticas" e achar que poderia passar despercebida.



Agora me tornei o impostor das mensagens subliminares, meu Deus?

O que mencionar diante dessa infeliz citação, não fiz poesia alguma, apenas na minha ignorância de ser humano, tentei mensurar as emoções de Jesus, algo que infelizmente o senhor não compreendeu, e preferiu rechear seus comentários de sabedoria humana.

Lembrei-me de Paulo quando falava a Corinto, que falta fazem pessoas como ele:

"Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. " 1 Cor. 2:12 a 13

A edificação pelo Espírito foi gratuita, não escrevi para exaltar a minha carne, tampouco para distorcer o significado do texto, o Espírito Santo nos submete a experiências pessoais, e creio que o Senhor já tenha participado delas, então, com tato, poderia fazer uma outra explanação, através do Espírito Santo, para acrescentar palavras que casualmente não fizeram sentido no texto.

Você não buscou a edificação, isso é absurdamente incrível, em uma pessoa como o senhor.

Preferiu buscar na sabedoria humana, palavras para contestar o texto, claro, você não está contestando a Bíblia, o seu objetivo é os meus "acréscimos apaixonados", que despropósito não?

Acho que estamos aqui para nos edificarmos, e não para apreciar dotes poéticos uns dos outros.

Na religião os dotes poéticos são bem aceitos, lá qualquer coisa se torna motivo para glória, não necessito desse tipo de aceitação.

"Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva. " 2 Cor. 10-17 a 18


O irmão distorceu totalmente, e a seu bel-prazer, o texto bíblico, alterando indevidamente o seu sentido e o seu verdadeiro contexto.
( Ah, que falta faz o irmão Jahyr numa hora dessas! )

Em qual momento distorci a palavra? Como entender a sua rejeição? Infelizmente, acho que até para os debatedores, está complicado para compreender a sua ojeriza com o texto, que exceto pela falta da veia poética, não tem qualquer alteração a palavra, creio que sejam as mentes contrariadas que distorceram o real significado.


O irmão me perdoe, mas não pude distinguir contexto algum em sua apaixonada narrativa.
Em momento algum nenhum de nós pretendeu "diminuir a glória de Deus" como o irmão alega.
Mas o fato de discordarmos das colocações que o irmão pretende nos impor, não significa de forma alguma que estejamos contra o irmão ou que estejamos - nas palavras que o povo costuma usar quando é contrariado por algum motivo - "botando a mão na obra de Deus".

Não sou contrário a nenhuma contestação, prefiro ser apaixonado, do que confuso no entendimento, de nada vai adiantar prosseguir nos comentários. O irmão está contendendo com a minha ideia, quando na verdade aceita ideias insossas, e delas se alimenta, como se fossem de Deus, porém, creio que jamais se manifestaria contra alguma coisa do púlpito, ou reagiria, da maneira como fez comigo.

Devagar com andor Ir. Sérgio, certamente o seu problema não é com o meu texto, eu e o senhor sabemos disso.

Debato com o irmão Jahyr a muito anos, desde dos tempos do apóstolo, ele necessariamente se aplica, a combater os defensores da religião, não aqueles que escrevem a favor de Deus.

Fique a sua consciência tranquila, não é por isso, que deixarei de expressar as minhas ideias, mesmo que alguns não as compreendam.

Graça e paz.

Eldier.


Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Cris@Vasconcelos em Qui Mar 29, 2012 12:13 pm

Assim me contento em Deus, até nos dias da minha tristeza, porque sei que tudo está previsto pelo Altíssimo e no fim o Seu nome será por todos os seus glorificado. Amém

Deus nos abençoe,
Vitor

Perfeito o seu comentário Vitor.

Tudo realmente foi previsto antecipadamente, como descrito no capítulo 11 de Hebreus, nenhum dos homens santos, que legitimamente batalharam pela fé, jamais se cansaram, enxergando que haveria algo mais do que contestar.

Moisés inclusive enxergou o vitupério de Cristo.

"Pela fé Moisés, já adulto, recusou ser chamado filho da filha do faraó, preferindo ser maltratado com o povo de Deus a desfrutar os prazeres do pecado durante algum tempo. Por amor de Cristo, considerou a desonra riqueza maior do que os tesouros do Egito, porque contemplava a sua recompensa. " Hebreus 11:24 a 26

É nesses dias de tristeza, de desonra, que o crente deve demonstrar a sua fé, avançando para a recompensa prevista, assim como você está fazendo.

"Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido. Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados. " Hebreus 11:39 e 40

O planejamento de Deus, foi Cristo em nossa vida, e juntamente com esses homens do passado, que alcançaram testemunhos, estamos sendo aperfeiçoados todos no mesmo corpo, para congregarmos na igreja dos primogênitos, que estão com os nomes inscritos no céu.

Fique imensamente na paz.

Eldier.

Cris@Vasconcelos

Mensagens : 21
Data de inscrição : 10/03/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Tomé

Mensagem  cuxita em Qui Mar 29, 2012 1:24 pm

Tomé também foi um instrumento usado por DEUS, afinal foi o único, segundo o registro bíblico, que tocou nas feridas de nosso Senhor JESUS, por ele temos um testemunho que CRISTO voltou em vida material.

cuxita

Mensagens : 65
Data de inscrição : 12/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  "Ekklésia Christiana" em Qui Mar 29, 2012 3:51 pm


Saudações cristãs,

Irmão Cuxita, prezado...




Realmente...

Essa menção ao regresso de nosso Senhor "em carne" (e sob qual composição ou manifestação da matéria) já nos sugere um tópico à parte.


"Nem toda a carne é uma mesma carne..." (I Coríntios 15:39)

"Se há corpo natural, há também corpo espiritual" (I Coríntios 15:44 b)



Atenciosamente,

"Em Caridade"

Irmão Ednelson

"Ekklésia Christiana"

Mensagens : 497
Data de inscrição : 18/05/2011

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "Quod scripsi, scripsi"

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum