INTRODUÇÃOÀ ANGELOLOGIA (PARTE 1)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

INTRODUÇÃOÀ ANGELOLOGIA (PARTE 1)

Mensagem  Sergio Teixeira em Qua Dez 07, 2011 11:51 am

Não temos a pretensão de oferecer aos nossos debatedores um trabalho completo e primoroso sobre "anjos", e tampouco pretendemos confundir a vossa mente com "sabedoria" humana desnecessária.
Muitas informações ficarão de fora em nossa abordagem, mas o pouco que aqui está colocado, visa apresentar o essencial e desmistificar certos aspectos concernentes ao relacionamento entre anjos e humanos.

O termo "Angelologia" vem de angelus (anjo) + logia (estudo).
Angelologia portanto seria a "ciência" terrena que pretende estudar os anjos em todos os aspectos possíveis e imagináveis.
Por vezes vemos serem usados incorretamente os termos "angeologia" ou mesmo "angiologia" para designar tal "ciência".

As palavras que correspondem a "anjo" são, respectivamente:
Em hebraico: Mal'ach
Em latim: Angelus
Em grego: Aggelos ou Daimones
Em sânscrito: Deva

A tradução de tais palavras será sempre "mensageiro" (como na anunciação de Maria) ou, conforme o contexto, "forma visível" (como Pedro batendo à porta após ser liberto da prisão: Os discípulos pensaram que não fosse realmente ele, em carne e osso).
Portanto, os anjos em relação a nós humanos são mensageiros, em qualquer hipótese.

O templo espiritual de Deus é teoricamente sustentado por 74 colunas, sendo que duas delas representariam a temperança (Boaz e Jakim) e as demais 72 corresponderiam aos anjos-guardiães, segundo sua hierarquia própria.
São portanto 72 colunas de sustentação do templo, e 2 de ornamento.
Como já afirmamos, em teoria.

Os anjos não são de forma alguma pessoas que já morreram e que porventura tenham transformado seus corpos em corpos angelicais, como muitos de nós somos induzidos a acreditar em virtude de dogmas, lendas e fábulas religiosas e/ou místicas.
Anjos são na verdade seres vivos e atuantes, cuja existência e expressão são próprios de um outro plano de vida como que paralelo ao nosso, segundo a vontade de Deus.

Anjos mantém uma grande neutralidade em sua forma de sentir e de agir.
Eles de si mesmos parecem nada fazer, embora tenham uma certa condição para tal.
São extremamente obedientes, e parecem desconhecer os limites entre o bem e o mal.

Muitos de nós estabelecemos fronteiras entre anjos e demônios, entendendo que anjos são "do bem" e que demônios são "do mal".
Consideremos no entanto que, estando eles acima de nosso conceito de "bem" e de "mal" eles não são propriamente bons ou maus em si próprios.
Segundo a narrativa bíblica, o mesmo anjo que anunciou a Maria, teria destruido Sodoma e Gomorra.

(Continua)
avatar
Sergio Teixeira

Mensagens : 1144
Data de inscrição : 12/05/2011
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum